Execução foi motivada por disputa entre facções na guerra do tráfico em Canela

0
863
Foto Ilustrativa


A execução de João Paulo dos Reis de Pereira, 37 anos,
ocorrida nas primeiras horas desta segunda-feira, 29 de abril, no bairro São
Rafael, em Canela, está relacionada ao a guerra do tráfico de entorpecentes que
está em curso no município. A informação é da Polícia Civil que iniciou as
investigações assim que foi informada sobre o crime.

O homicídio conforme levantamento preliminar da
corporação trata-se de uma rixa entre as duas principais facções criminosas do
Estado: Os Bala na Cara e Os Mano. Os dois grupos tentam dominar o varejo das
drogas na Região das Hortênsias, mas as forças de segurança buscam conter o
avanço da disputa armada e a venda de drogas. A morte de João Paulo é
considerada pelos investigadores como uma disputa por território para a
comercialização de crack, cocaína e maconha.

João Paulo era integrante de Os Manos e foi morto com
cerca de 20 disparos de arma de fogo, no rosto, peito e braços. A vítima também
possuía uma dívida com a organização criminosa rival e acabou sendo assassinado
na frente de familiares. A companheira de João Paulo presenciou a execução do
marido e conseguiu deitar-se sobre o filho do casal para protegê-lo do ataque.
A suspeita é de que o calibre das pistolas usadas no ataque seja 9 mm,
armamento de uso restrito dos órgãos de segurança.

VIZINHO TAMBÉM FOI MORTO

João Paulo era o alvo dos bandidos, mas um vizinho também
acabou sendo morto. Muito provavelmente porque estava no local e na hora
errada, mas a Polícia Civil está buscando esclarecer esta questão. O corpo de
Valdomiro da Silva, 48 anos, foi encontrado por policiais militares sobre a
calçada do mesmo endereço de João Paulo, na rua Gabriel de Souza. Ele foi
alvejado no rosto e foi a óbito no local.

“É um pouco prematuro definirmos alguma coisa, mas o
foco principal e a disputa pelo ponto de tráfico,” comenta o chefe da DP
canalense, delegado Vladimir Medeiros. A casa onde João Paulo foi executado
funcionava como um local de venda de diferentes tipos de drogas. O ponto estava
desativado, mas teria voltado a funcionar recentemente. Com as mortes de João
Paulo e Valdomiro, Canela já contabiliza três homicídios nos quatro primeiros
meses de 2019.

BANDIDOS ESTAVAM ENCAPUZADOS

Conforme informações divulgadas pela Brigada Militar,
(BM) por volta das 2h30 da madrugada de segunda-feira, dia 29, via 190,
populares informaram a corporação sobre o duplo homicídio. Três homens
encapuzados invadiram a moradia de João Paulo e efetuaram a execução a tiros. A
vítima estava no quarto, deitado na cama quando foi executada. No terreno onde
os fatos ocorreram há quatro residências, sendo que Valdomiro morava na segunda
casa e João Paulo na quarta moradia.