Uma homenagem às mães

0
956


Ser mãe não é uma tarefa simples, pelo simples fato de que é impossível elaborar um manual de como ser mãe. Além disso, do pouco que já conhecemos sobre o ser humano, sabemos que somos complexos e diversas são as situações que enfrentamos. Cuidar é algo maravilhoso, exige empenho, responsabilidade e muito amor. Se um dia erraram, merecem o perdão, porque sua missão é uma das mais complexas e fundamentais em nossas jornadas.

Ser mãe não é apenas ser a mulher que deu à luz, pois há inúmeras que criam ou criaram um ou mais filhos, mesmo não sendo sua genitora. Ser mãe é também cuidar de pessoas que necessitam de cuidados maternais, proteger e assistir quem precisa.

Todos animais mamíferos são seres sociais, dado que, ao nascer, não têm habilidade de se alimentar por conta própria, ou seja, necessitam de outro ser que o alimente no início de vida. Nós, seres humanos, somos os animais mais sociais dentre os demais mamíferos, visto que nossa dependência é maior e mais longa. Em contrapartida, essa dependência é proporcional ao nosso desenvolvimento intelectual e nossa capacidade de comunicar-se.

Essa longa duração também está atrelada, dentre outros fatores, à nossa condição bípede: para que o parto seja viável, o cérebro do recém-nascido é muito pequeno, não tem o cerebelo desenvolvido, assim o corpo do bebê colabora com a limitação que a bacia apresenta para abrir passagem, apenas dez centímetros de diâmetro. Afinal, a bacia precisa ainda sustentar o corpo. Na orquestra da natureza, esse é um dos incontáveis concertos que acontecerão em toda nossa vida.

Nesse maior tempo de dependência, consciente ou inconscientemente, estabelecemos muitos vínculos afetivos e mais: necessitamos de reconhecimento e validação, por parte de quem nos cuida ou cuidou. Mais uma vez, as mães vêm desempenhar esse papel.

Neste dia das mães, reflitam muito sobre o quão árduo e ao mesmo tempo prazeroso é ser mãe. Aproveitem para homenageá-las; aos quem ainda a tem em vida e aqueles que já não as tem, continuem a reverenciá-las, pois ela está no “cantinho da saudade” dentro do coração de cada um.