Traumas x Recursos

0
7716


Sempre existiram dias difíceis em qualquer época. Quem não tem algum trauma? Dias difíceis sempre existirão, apesar de escutarmos muitas vezes que tudo que nos acontece, atraímos de alguma forma.

Pode até ser, só que muitas vezes não temos este controle: acidentes acontecem, mortes de pessoas queridas, violências, doenças. Ninguém está preparado para estes imprevistos que a vida muitas vezes coloca no nosso caminho e deixa marcas para sempre. Isto são os traumas que ficam registrados na mente e que refletem constantemente na vida.Muitos não sabem lidar com as dores destes traumas.

Vou usar um exemplo que vivenciei ontem: para quem está acompanhando as notícias, aconteceu um assalto grande em um banco, em Criciúma, há poucos dias e ontem eu saindo para trabalhar recebi uma mensagem da minha colega para que eu não fosse até o espaço porque estava cheio de policiais e estavam prendendo os assaltantes de Criciúma refugiados próximo ao espaço.

Pensei… Como é possível? O assalto não foi em Criciúma? Tantos lugares para se esconderem, escolheram próximo ao meu local de trabalho? Mil coisas  passaram na minha cabeça, não aconteceu nada com ninguém, minhas colegas que estavam no espaço ficaram bem, a polícia fez o serviço dela, estava tudo normalizado, mas eu não! Fiquei em pânico, não estava querendo sair de casa, pensei até em sair de lá, o lugar lindo que sou apaixonada ficou por alguns instantes sombrio, e hoje pela manhã relutei em ir lá. Eu não estava entendendo porque fiquei tão abalada se estava tudo bem, não aconteceu nada com ninguém, eu nem estava lá, e comecei a me fazer várias perguntas. E se eu estivesse lá e tivesse acontecido alguma coisa?  Aí entendi o porque estava me sentindo tão angustiada e com medo.

Com 17 anos eu estava indo ao cinema com amigos e quando desci do carro me seguraram pelos cabelos com uma arma na minha cabeça, foi um assalto que aconteceu numa joalheria na cidade onde eu morava, onde os assaltantes fugiram no carro que eu estava, não aconteceu nada grave, somente a perda do carro, o que é de menos, mas foi um grande trauma na época.

Porque estou contando tudo isso? Para que entendam como a nossa mente é incrível, poderosa e também assustadora quando não sabemos controlá-la e entender da onde vem algumas emoções. E se eu não tivesse percebido que esta reação que eu tive era um trauma, teria com certeza dado a desculpa para mim mesma que por segurança seria melhor entregar a minha sala e trabalhar em outro lugar para aliviar o medo que senti. A minha mente me levou para o mesmo estado que vivenciei a anos atrás, associou o assalto, arma, refém e me gerou todo aquele mal estar de medo, angústia e desespero.

E como buscar recursos para sair deste trauma? Só o fato de eu ter percebido que este acontecimento me levou a sentir exatamente o que vivi há anos já foi um recurso e comecei a me fazer mil perguntas, como: Qual a probabilidade disso acontecer novamente? Eu estava no espaço quando aconteceu isso? Quanto tempo faz que aconteceu isso comigo? Que cuidados posso ter para me sentir segura? Porque eu deveria sair deste lugar que adoro estar? Fui me fazendo perguntas e resinificando este fato que aconteceu há muitos anos, até conseguir ir trabalhar novamente.

Este trauma provavelmente não vou esquecer, mas consegui dar um novo significado para ele. Conseguir contextualizar, foi uma nova possibilidade em transformar o peso de um trauma em uma nova possibilidade na minha vida, que não me travasse por medo de viver a mesma coisa no passado e seguir com os meus propósitos.

Não somos responsáveis por algumas coisas que nos acontecem na vida. Mas somos responsáveis sim, pelo que sentimos, a importância que damos a cada acontecimento na nossa vida, o que isso nos gera e como vamos reagir.

Nossa mente é brilhante e poderosa quando sabemos usá-la a nosso favor. A maioria das pessoas vivem na luta e fuga e o corpo e mente só reagem a esta informação, mas quando conseguimos entender que não somos vítimas , que não precisamos só lutar  e reagir a estes sentimentos e que podemos mudar nossas percepções e crenças em relação a vida, ao mundo, aos fatos, podemos então controlar as nossas emoções e nossa mente e sair do mecanismo de luta e fuga. Criar uma nova realidade, e assim lidar com os traumas de maneira positiva e construtiva. “Não existe coragem sem sentir medo”.

Seja lá qual foi o seu trauma, compreender que o que passou não pode ser mudado e aceitar isso, já é transformador. Dar um novo significado para isso, é libertador. 

“Nada é curado enquanto não for amado”. 

Faz sentido para você?

Seja a sua cura!

Até Breve, Nina Rosa Coimbra!