Traços da Serra

1
2381
Obra de Marcia Marostega. Foto: Roger Coicev.


Em uma região de silhuetas grifadas em seus morros e rios, nos costumes e na sua vida cotidiana vivem e prosperam diversos artistas plásticos que por aqui decidiram desenvolver sua arte.

Nas próximas edições gostaria de apresentar alguns trabalhos intrínsecos e peculiares desta classe que através das cores , nuances e pinceladas interpretam o mundo e a psique humana .

Em um bate papo com a Artista gramadense Rita Gil, pioneira e contribuinte para a arte local, conheci a arquiteta Marina Dal Ponte idealizadora da galeria Arte 12b que representa artistas renomados nacionais , principalmente do Sul do Brasil. “Queremos atingir os olhares de quem procura algo distinto, com trabalhos de diferentes gerações e de variadas técnicas, todas cuidadosamente selecionadas.

Somos apaixonados por arte e cultura. Realçamos seu valor e importância no nosso dia a dia, através de bate papos com artistas, exposições periódicas e projetos culturais.” Revela-se através dos artistas e suas obras a criatividade e interpretação das diferentes técnicas utilizadas nas obras a seguir:

Cassia Acosta


É reconhecida pelas suas minuciosas obras, repletas de detalhes. Com o recurso do acrílico sobre tela, o seu desenho é muito maduro, bem trabalhado. A artista conta que a técnica que mais marcou a sua carreira foi a acadêmica, mas que se sente atraída pela mistura de arte contemporânea com figurativa.

As telas são tão ricas em detalhes que a cada passada de olhos é possível identificar uma nova particularidade, alguns traços ainda não vistos. Procura utilizar tons neutros na grande superfície da tela e para destacar as formas que deseja. Abusa das cores vibrantes – predomina o desenho sobre a cor.

Marilene Zacchett


Sua principal técnica é o óleo sobre tela espatulado, onde registra figuras urbanas, pintadas de forma tridimensional e minimalista. A artista valorizando as silhueta e as sombras das pessoas, com fundo monocromático e grandes espaços em branco. “Retrato as pessoas que andam nas ruas das grandes metrópoles, onde estão e para onde vão”, revela Marilene. “É bem figurativo, destacando características individuais, formas, gestos e cores”.

Na técnica acrílico sobre tela, que também domina com sabedoria, pinta a sua marca registada “as pessoas”, com roupas marcantes e cheias de personalidade. O passeio pela cidade é a sua inspiração. Esses personagens peregrinam ora em grandes centros urbanos, rodeados de grandes edifícios, ora em calmas caminhadas em dias de chuva.

Rita Gil


Rita Gil é artista plástica e arquiteta. Estudou e residiu em Porto Alegre durante anos. Ao regressar para a sua cidade natal, Gramado, conseguiu priorizar a sua carreira artística.

Rita possui uma arte muito bem engajada – tudo que produz com os seus pincéis está embasado em algum acontecimento histórico. Gramado e a região dos Campos de Cima da Serra costumam lhe servir de inspiração.

Assim que a artista define o tema de sua nova série, ela recorre a antigos livros de família, jornais da época, revistas… Tudo o material encontrado vira arte! Trabalha com a sobreposição de plotagens, retalhos de tecidos, recortes de folhetos… qualquer outro material que o seu imaginário lhe permitir.

“Com minha arte, reconstruo momentos da história de Gramado e região dos Campos de Cima da Serra especialmente da pequena cidade de veraneio, que em meio século se transforma num grande polo turístico, sem perder e as características de uma grande família devido à fé e a pureza de suas raízes.” Conta a artista.

Nas suas esculturas, trabalhadas em terracota. Aplica as mesmas referências geográficas em rostos contemporaneamente desfigurados e adiciona pinceladas de tons vibrantes.

Vitor Hugo Porto


No início da sua carreira pintou de naturezas mortas a melancias, até evoluir para as famosas mulheres cheinhas. “Me perguntam se eu gosto de gordinha. Olha, eu gosto de gordinha, eu gosto de magrinha… Mas desenho as gordinhas porque eu gosto das curvas. E acredito que elas representam a força que a mulher tem. Na pintura, a magra parece muito frágil.”

Identificado pelas telas coloridas, com traços marcantes e cheios de expressão, suas figuras femininas são sensuais e volumosas, pintadas sobre a técnica acrílico sobre tela, recebe influências de Van Gogh, Pablo Picasso e Toulouse-Lautrec.

Dentre as características da sua obra, observamos a boca, que é retratada sempre de frente, mesmo se faces estão de perfil, pois a mulher fala muito, comenta o artista. Os cabelos são coloridos. “Porque a mulher tem a cabeça aberta, mais colorida. Ela enxerga tudo! Enquanto o homem só vê o que está na frente dele”, comenta Victor Hugo.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.