“Torçamos que nossos idosos possam voltar a sua vida livremente”, diz presidente do CMDI, Vicente Vargas

0
539
Vicente Vargas é presidente do CMDI desde janeiro deste ano. Foto: Arquivo Pessoal.


Formado em Ciências Jurídicas e Sociais, Vicente Mendonça de Vargas Pinto é presidente do Conselho Municipal do Direito do Idoso – CMDI de Gramado desde janeiro de 2020. Em entrevista para o Gramado News, o presidente fala sobre sua gestão, projetos e como o conselho tem agido neste momento de pandemia.

GN: O que lhe fez aceitar o cargo?

V: Na gestão passada, cujo presidente era o Dr. Vilnei Pinheiro Sessim, eu já representava a OAB/RS Subseção Canela/Gramado junto ao conselho. Desta forma, já estava envolvido com as demandas do conselho em defesa do direito dos idosos. Assim, aceitei o cargo porque vi uma oportunidade de garantir a continuidade dos trabalhos, somado à possibilidade de contar com uma equipe muito dedicada e comprometida.

GN: Neste momento de pandemia, quais as ações estão sendo realizadas em prol dos idosos?

V: Estamos atentos as instituições geriátricas do município, conjuntamente com a prefeitura, através da Secretaria de Saúde e da Secretaria da Cidadania e Assistência Social, quanto aos protocolos e cuidados para evitar o contagio, e felizmente, até o momento, não se tem registro de nenhum idoso infectado.

GN: Dia 15 de junho foi o Dia Internacional de Conscientização do Combate à Violência contra a Pessoa Idosa. Como presidente do Conselho, já recebeu denúncias de casos de violência contra os idosos de Gramado?

V: Desde que entrei para o conselho, em 2018, nunca vi um caso sequer de violência contra o idoso nas instituições geriátricas do município. Os proprietários dos estabelecimentos são muito comprometidos com o bem estar dos idosos, e o órgãos municipais são muito vigilantes.

GN: Na sua opinião, o que falta ser feito em Gramado pelos idosos?

V: Estamos trabalhando em um projeto do qual assim como aconteceu com a cidade de Veranópolis, nos tornarmos cidade amiga do idoso, buscando assim o selo da OMS, “Cidade Amiga do Idoso”. O Conselho vem trabalhando neste projeto a um bom tempo, já conseguimos a verba para esse projeto e neste momento se encontra na fase licitatória. Este é apenas um dos projetos, e diariamente trabalhamos junto a prefeitura engajados em políticas públicas em beneficio dos idosos na sociedade, além de priorizar sua saúde, segurança e acessibilidade.

GN: Poque é importante o município conter um Conselho Municipal do Idoso?

V: O Conselho Municipal do Direito do Idoso – CMDI de Gramado além de zelar pelo cumprimento das proteções constante no Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03), ainda faz a gestão do fundo municipal do idoso, onde são depositadas as doações das entidades que vão auxiliar as entidades que congregam idosos, às quais, são repassados a estas instituições, financiando projetos e despesas. Gostaria de salientar que neste sentido precisamos muito do empenho das empresas e seus contadores, pois de forma direta e indireta, são eles que podem todo ano direcionar seu repasse para o conselho do idoso do Município. Pois caso não seja feito o repasse esse valor vai para o Ministério, sendo difícil buscar de volta ao município.

GN: Pós-pandemia, o que será realizado em prol desta parte da população?

V: Vamos seguir monitorando os casos, junto à Prefeitura, e prestando assistência na medida das necessidades. Torçamos que nossos idosos que tanto fizeram por esta comunidade, possam voltar a sua vida livremente.