Teatro de bonecos em caixa vai passar por escolas de Gramado

0
1239
Projeto Estórias Fantásticas foi contemplado pelo Fundo de Cultura de Gramado e deve iniciar apresentações em setembro. Foto: Divulgação.


Com a finalidade de unir experiências e divulgar o teatro de bonecos que surgiu o projeto Estórias Fantásticas – Teatro em Caixas, de Daiene Cliquet Artes. A iniciativa foi uma das contempladas com o financiamento do edital do Fundo Municipal de Cultura de Gramado neste ano. No projeto há duas apresentações distintas “A noiva do Condutor”, com as técnicas de manipulação de teatro de caixa, luva e a lambe-lambe. E “Caixa do Pequeno Príncipe” com a técnica de teatro miniatura.

As apresentações estão previstas para iniciar em setembro em algumas escolas de Gramado e no Centro Municipal de Cultura Prefeito Arno Michaelsen de forma gratuita. “O teatro de bonecos em caixa é uma expressão artística que valoriza a criatividade, o lúdico e agrada ao público de todas as idades. Com isso, nosso maior interesse é mostrar que esse estilo de teatro, em geral, é fácil de montar e apresentar”, explica Daiene.

Preocupados com a sustentabilidade e com o objetivo do projeto, parte dos materiais utilizados para criar a cenografia do espetáculo “A noiva do condutor” é reciclado. Os bonecos foram confeccionados pelos manipuladores, assim como o bonde que foi produzido a partir de uma caixa de papelão. Já os materiais da peça “Caixa do Pequeno Príncipe” são 100% reaproveitados. “Ambos espetáculos têm vínculos na literatura, propiciando que o espectador tenha curiosidade e possa criar, ou mesmo aprofundar seus conhecimentos sobre as histórias”, aponta

A noiva do condutor

Em uma caixa que pode ser identificada como um palco de teatro, os manipuladores César Cliquet e André Guedes apresentam a peça “A Noiva do Condutor”. O espetáculo é uma opereta com texto de Noel Rosa, escrito em 1935, que além de uma história rica em detalhes, tem a sonoplastia nas vozes de Marília Pera, Grande Othelo e Oscarito. A técnica desenvolvida é a de teatro de caixa, em que os bonequeiros não aparecem durante o espetáculo, e a manipulação com luva.

No enredo, o público conhecerá de perto a história de um condutor de bondes (Joaquim), que se faz passar por um advogado para conquistar o coração de Helena. Com a oposição do pai da moça ao referido namoro, Joaquim faz algumas peripécias para alcançar seu objetivo: casar com sua amada.

Caixa do Pequeno Príncipe

Apresentado de forma paralela ao espetáculo “A noiva do Condutor” está um trecho da história do Pequeno Príncipe, do livro de Antoine de Saint Exupéri. Em uma caixa de papelão com dimensões de 0,90cm x 0,90cm, a artesã Daiene entretém o espectador que observa a história do Príncipe e do Rei por meio de um pequeno orifício na caixa. A técnica é conhecida como lambe-lambe ou teatro em miniatura. A apresentação tem duração de cerca de dois minutos. Os bonecos foram confeccionados em pano e a cenografia acompanha esse estilo. “É uma adaptação que oferece uma experiência exclusiva, única e individual para cada espectador”, adianta Daiene.

Experiência

André Guedes nasceu em Porto Alegre e iniciou no teatro de rua na cidade passando por experiências em palco e indo para a sua paixão, os bonecos. Guedes criou a Cia Goliardos há 25 anos e há 18 trabalha com bonecos. Em 2015 inaugurou o Estúdio dos Bonecos em Canela.

César Cliquet é natural de Santos (SP) e escolheu morar com a família em Canela há 5 em busca de qualidade de vida. Atualmente cursa Gestão Ambiental na UERGS. Seu primeiro contato com os bonecos foi na Festival Internacional em Canela, depois disso fez aulas com a bonequeira Beth Bado e desde então se inspira na arte para contar histórias.

Daiene Cliquet é natural de Pelotas (RS). Foi incentivada pelo esposo, César a trabalhar com bonecos. Hoje ela atua como artesã expondo na Feira Ecológica e Cultura de Canela e é produtora cultural.