Taxa de Turismo vai financiar a reconstrução de pavilhão no Expogramado

0
1419
Créditos: Divulgação/Internet


Nos próximos dias representantes da Gramadotur, da Câmara de Vereadores e do Hospital Arcanjo São Miguel estarão reunidos para discutir o possível direcionamento de um percentual da Taxa de Turismo Sustentável para o Arcanjo São Miguel. O pleito é do Conselho Municipal de Saúde, que acredita que parte da arrecadação do tributo pode auxiliar as finanças do hospital.

O presidente do Conselho de Saúde, o cardiologista Cezar Maciel fez a sugestão para oito dos nove vereadores da cidade durante reunião realizada em 14 de agosto na sede do parlamento gramadense.

Em nome do Conselho, Maciel pediu para que os legisladores intervenham junto à Prefeitura e a Gramadotur para que a reivindicação seja atendido.

A proposta tem o apoio da Comissão de Saúde do Legislativo e também da direção do São Miguel. No entanto, a iniciativa deverá ser freada pela autarquia municipal. O tributo é compulsório e é pago por hóspedes da rede hoteleira.

Desde que foi instituída em abril de 2016, até o final de junho deste ano, a Taxa de Turismo arrecadou R$ 2.131.258,00. O tributo é cobrado por unidade habitacional, dos hóspedes não residentes ou domiciliados no em Gramado, no valor de R$ 2,00 (dois reais), por cada diária gerada por unidade habitacional.

“Taxa de Turismo é para o turismo,” frisa Néspolo

O presidente da Gramadotur, Edson Néspolo (PDT) defende que os valores arrecadados com a taxa devam ser aplicados na cadeia turística.

Ele destaca que por ser uma área com muitas demandas, a saúde necessita de crescentes aportes financeiros e a concessão para o setor possibilitará que outras áreas solicitem parte da arrecadação da Taxa.

“Se abrirmos precedente para a saúde, amanhã ou depois poderá ser a segurança, a infraestrutura que estarão solicitando. Taxa de Turismo é para o turismo,” frisa Néspolo. “O problema da saúde não está nos municípios, mas sim nos repasses do Estado e do Governo Federal,” opina ele.

Renda do Natal Solidário

“Eu sou favorável para que a Taxa de Turismo seja reinvestida no turismo e em novas estruturas para a captação de novos eventos. Quanto mais eventos para Gramado movimenta-se a economia,” avalia Néspolo.

Segundo ele, está sendo analisada a possibilidade do Natal Solidário auxiliar o hospital, ou seja, em um dia de atrações do Natal Luz a renda seja revertida para o São Miguel.

“A minha causa é o turismo e mais infraestrutura para eventos, vou ter uma defesa firme de que a Taxa de Turismo seja para o turismo,” concluiu Néspolo.

Conselho não recebeu pedido oficial

O presidente do Conselho Administrativo da Gramadotur, Josiano Schmitt (PMDB) informou que oficialmente o órgão não recebeu nenhum pedido sobre possível repasse de percentual da Taxa de Turismo para o caixa do São Miguel. “Esse assunto não entrou em pauta ainda, não temos nenhuma solicitação. O Conselho é democrático e está aberto a falar sobre o assunto, mas obviamente entendemos que o dinheiro do turismo precisa ser reaplicado no turismo,” declara Schmitt.

Segundo o empresário, o valor angariado com o tributo já tem um destino. “Será reaplicado na reconstrução do Pavilhão 3 e nas reformas necessárias do ExpoGramado para que a cidade receba mais eventos,” afirma  Schmitt.

“A destinação dessa verba vai de acordo com as demandas, a Gramadotur foi criada há quatro anos e desde então a Prefeitura não precisou por nem um centavo na realização dos eventos públicos,” finaliza o empresário.

Hospital tem dívida acumulada de R$ 2 milhões

O Conselho de Administração da Gramadotur é o órgão responsável por deliberar sobre a aplicação do valor, mas prioritariamente de acordo com legislação vigente o recurso deve ser investido na área de turismo. O Hospital Arcanjo São Miguel tem uma dívida acumulada com prestadores de serviços e fornecedores de cerca de R$ 2 milhões.