Sete gambás órfãos são acolhidos no Gramadozoo

0
1992
O resgate dos filhotes de gambá coincidiu com o Dia Nacional do Trânsito. Foto: Divulgação.


O Gramadozoo recebeu na terça-feira (25) sete filhotes de gambá. Os técnicos do parque foram comunicados de um atropelamento no bairro Várzea Grande. Após fazer contato com o Setor de Fauna da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, o veterinário Renan Alves Stadler, responsável técnico do Gramadozoo, foi até o local, que fica próximo ao zoo, e fez o resgate dos animais. “Infelizmente, a mãe estava morta. Os filhotes estavam dentro da bolsa da mãe”, diz Stadler.

O veterinário explica que gambá é um marsupial. “São mamíferos que possuem uma bolsa na região abdominal, onde carregam e amamentam seus filhotes”, acrescenta. Conforme Stadler, os filhotes resgatados foram colocados em uma unidade de tratamento animal (UTA) no hospital veterinário do zoo. “Eles permanecem com a temperatura e a umidade controladas. Estimamos que tenham aproximadamente 30 dias de vida”, afirma. Além de ambiente aquecido, os filhotes precisam de cuidados especiais de alimentação. “Eles são alimentados com papa especial em uma seringa a cada duas horas. Quando forem maiores, poderão comer frutas picadas. No último ano, fizemos a reintrodução de 37 filhotes de gambá”, conta.

Os sete órfãos chegaram ao zoo no Dia Nacional do Trânsito. O veterinário aproveita a data para fazer um alerta: os atropelamentos são a principal causa de mortalidade de animais silvestres no Brasil. Segundo estimativas, mais de um milhão de animais morrem nas rodovias brasileiras. “Anualmente, mais de 475 milhões de animais morrem vítimas do trânsito, que mata mais do que o tráfico”, frisa.

Referência

Em 10 anos de atividades, o Gramadozoo virou referência estadual para o acolhimento de animais da fauna brasileira. Além de procurar garantir o bem-estar dos animais que não podem mais viver em vida livre, a equipe do parque trata espécies silvestres vítimas da ação humana. O veterinário cita os casos do puma Vitório, que foi resgatado na região de Cambará do Sul e precisou ter a pata amputada, e do veado-catingueiro resgatado de dentro da lataria de um veículo na Rota do Sol. Outro caso bem sucedido de reabilitação foi de um bugio-ruivo agredido com facão em Nova Petrópolis. “Todos tiveram uma nova chance de viver em vida livre. Quando recebemos um animal ferido, sempre procuramos fazer a reabilitação. Em alguns casos, conseguimos fazer a soltura. Em outros, acolhemos os animais e procuramos garantir o bem-estar deles”, diz.

O Gramadozoo não realiza o resgate de animais silvestres. Os encaminhamentos são feitos pelo Setor de Fauna da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (51) 3288.8187.