Seria um tédio se não fôssemos mortais

0
2801


Se fôssemos imortais, não teríamos medo, não haveria necessidade de se alimentar, não haveria necessidade de dormir e acordar, não haveria necessidade de amar, não teríamos desejos nem curiosidade, não haveria nascimento de novos seres e nem as inúmeras espécies existentes. E muitas outras vontades que temos ao longo dessa existência.

A proposta deste texto é induzir a uma reflexão neste período de isolamento social sobre a forma como temos vivido. As experiências que adquirimos e a necessidade de ter tudo de tudo evidenciam que muito do que foi realizado, fora de forma inadequada.

Por onde começar? Bem, comece por aquilo que você tem controle, que é tua atitude. É o comportamento impulsionado por uma disposição interior ou o jeito de ser e agir diante das demandas no cotidiano. Se tuas atitudes são predominantes proativas, excelente. Se forem reativas, então é aí que está o problema. Isso não significa que devemos concordar com tudo que nos é ofertado, mas a forma de dizer “não” é que necessita ser trabalhada.
Dizer “não” com conhecimento de causa não gera atrito e muito menos desarmonia. E aí está a beleza nas relações humanas. Contudo, não se pode ignorar que nesta vida sempre haverá pessoas com más intenções; portanto, relaxar jamais.

O convite é viver com intensidade, dentro dos teus conhecimentos e permitindo-se sempre a buscar novos conhecimentos. Isso ficará mais fácil se houver um projeto de vida para sua existência. Inicialmente pode parecer difícil, mas na medida em que se “colhem os frutos” do seu projeto, você ficará mais entusiasmado.

Há um provérbio popular que diz: “a morte é única certeza que temos”. Como seres sociais que somos, porque não permitir conhecer mais e mais outros seres humanos? Afinal, quanto mais pessoas conhecemos, mais nos conhecemos, já que cada ser sempre tem algo novo para nos ensinar.

Permita-se rever todo conhecimento adquirido ao longo de sua existência. Identifique quais devem ser mantidos e quais podem ser descartados. Dessa forma, abre-se mais “espaço” para novos aprendizados. Viva com leveza.