“Sempre sonhei em trabalhar com algo que pudesse fazer a diferença na vida das pessoas”, conta o assistente social Gustavo Domingues

0
3333
Gustavo Domingues é assistente social na Prefeitura de Gramado. Foto: Arquivo Pessoal.


Da Aeronáutica para a secretaria de Assistência Social de Gramado, Gustavo Domingues é formado em Serviço Social pela Universidade Católica de Pelotas. Nascido em Canguçu, passou no concurso público de Gramado em 2006 e foi chamado para assumir o cargo para assistente social em 2008. Há 12 anos morando na Região das Hortênsias, Gustavo continua no cargo sendo o assistente social mais antigo da pasta.

GN: Onde já trabalhou antes de para Gramado?

Gustavo: Fui Militar da Aeronáutica por alguns anos e também trabalhei com vendas.

GN: Porque escolher o Serviço Social como profissão?

Gustavo: Sempre sonhei em trabalhar com algo em que pudesse fazer a diferença na vida das pessoas, e encontrei no Serviço Social essa possibilidade.

GN: Quando tu descobriu que tinhas vocação?

Gustavo: Na época em que ainda era Militar, tive o prazer de trabalhar com um colega formado em Serviço Social e Sociologia. Essa oportunidade me fez conhecer mais sobre a profissão e perceber o que eu realmente buscava como meta profissional.

GN: Nestes doze anos na Prefeitura de Gramado, o que mais te marcou?

Gustavo: Conseguir garantir acesso aos direitos mínimos da população.

GN: Quais as dificuldades encontradas na tua área?

Gustavo: A falta de entendimento de muitas pessoas sobre o que é de fato o papel da Política Pública de Assistência Social.

GN: E quais os avanços já tiveram e que tu achas mais relevante para desenvolver teu trabalho?

Gustavo: O número de profissionais para a composição das equipes de atendimento à população, o que torna-se fundamental para garantir atenção integral às famílias e usuários atendidos.

GN: Um sonho relacionado a profissão?

Gustavo: Continuar me especializando na área.

GN: Uma realização como Assistente Social?

Gustavo: Ter sido aprovado no concurso de Gramado.

GN: Sabemos que mesmo no século XXI ainda existe um certo preconceito referente a homens e mulheres e as profissões que desempenham. Durante todos esses anos de atuação, tu ainda nota essa discriminação ou já vivenciaste alguma situação nesse sentido?

Gustavo: Por mais difícil que seja entender essa situação, infelizmente, vivemos em uma sociedade machista que ainda se utiliza de questões de gênero para definir potencialidades e competências. Agradeço por nunca ter vivenciado essa situação nos ambientes profissionais em que atuei.

GN: Quais os trabalhos que desenvolves dentro da Secretaria de Assistência Social?

Gustavo: Atuo como Assistente Social no CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social. Esse departamento é responsável pelo atendimento de situações relacionadas ao rompimento de vínculos familiares decorrentes da violação de direitos, violência, negligência, entre outros.

GN: Como trabalhar em uma área com tantas pessoas vulneráveis e não se envolver em cada caso?

Gustavo: É bem difícil não se envolver com as situações atendidas, pois na maioria das vezes revelam muita tristeza e sofrimento. Contudo, é preciso “desligar” a cada final de expediente, pois o cuidador também precisa de cuidado para continuar realizando seu trabalho.

GN: O mundo passa por um momento delicado com a pandemia, milhares de pessoas necessitando dos serviços oferecidos pelo Governo. Explica o porque o trabalho do assistente social é importante em um momento como este.

Gustavo: Em tempos de pandemia, é necessário a união de esforços de todos os trabalhadores da Assistência Social e demais órgãos do município, visando amenizar o sofrimento da população, que principalmente vem enfrentando problemas como desemprego e demora no acesso aos benefícios previdenciários oriundos dessas situação. Nesse atual contexto, todos os profissionais estão voltados para a escuta da população, na tentativa de suprir questões relacionadas à segurança alimentar e demais benefícios emergenciais da Política de Assistência Social.

GN: Quem é o Gustavo?

Gustavo: O Gustavo é uma pessoa alegre e extrovertida, que tem na família e nos amigos a base para tudo.