Semana da Educação Patrimonial busca preservar a herança cultural de Gramado

0
1069
Palestrantes Fernanda e Rodrigo, Secretário da Cultura Allan John Lino, Diretora Administrativa da Secretaria Margarete Anschau e Professoras das escolas Gentil Bonato, Henrique Bertolucci, Caic e Pedro Zucolotto.Foto: Milena Dallarosa.


Com atividades direcionadas aos alunos e educadores dos 4º anos da rede municipal de ensino, a III Semana da Educação Patrimonial de Gramado visa trazer a compreensão do que é o patrimônio cultural, sua importância e suas características. Os alunos participam de palestras, atividades pedagógicas, visitas técnicas aos bens culturais da cidade e dinâmicas de grupo, desafiando-os a repensar sobre o patrimônio estudado de forma lúdica, buscando exercitar a percepção tátil, potencial criativo e a importância dos nossos principais bens culturais, que são grandes atrativos no fomento ao turismo e a cultura da nossa região. As atividades iniciaram no dia 13 de agosto e seguem até o dia 24.

Os especialistas em Museografia e Patrimônio Cultural Fernanda Valente de Souza e Rodrigo Lobato Schlee são os responsáveis pelas atividades que tem como objetivo principal fornecer os subsídios para o reconhecimento e preservação do patrimônio histórico material, imaterial, natural, documental, arquitetônico e artístico.

“Buscamos despertar um maior interesse pela história e cultura da região e a importância de sua preservação. A Semana de Educação Patrimonial é um verdadeiro processo ativo de conhecimento, apropriação e valorização da herança cultural. Só preservamos o que conhecemos e reconhecemos como nosso”, enfatiza Fernanda.

Sendo 16 de agosto o dia Nacional do Patrimônio Histórico, a historiadora Iraci Casagrande, de 86 anos, foi convidada pela equipe da Secretaria para contar um pouco de sua vivência sobre a cultura gramadense. Iraci foi a primeira Rainha da Festa das Hortênsias, evento que era tradicional na cidade durante os anos 60.

Durante os próximos dias, os alunos e professores da rede municipal visitarão o arquivo público e as exposições de arte no Centro de Cultura Arno Michaelsen, e também participarão da chamada “Gincana do Patrimônio”, onde farão o reconhecimento dos bens culturais e principais pontos turísticos de Gramado.