Seis dicas para usar o cartão de crédito sem se enrolar

0
244


Na consultoria pessoal, fizemos análise dos gastos da pessoa e geralmente consta apenas assim: CARTÃO DE CRÉDITO. E normalmente um valor bem alto.

Detalhar a fatura para muitos é abrir a caixa de pandora, então poucas pessoas costumam fazer este trabalho de analisar os gastos com calma.

Baseado na minha experiência pessoal e nos meus atendimentos até aqui eu vou te mostrar neste post qual o jeito certo de usar o cartão de crédito, garantindo que você se beneficie e que a sua fatura esteja sempre sobre controle.

A primeira coisa que eu quero destacar é o cartão de crédito não é uma despesa, é um meio de pagamento. Por este motivo quando for organizar as suas finanças é importante que a despesa esteja detalhada conforme ela realmente é. Por exemplo:

– Roupas (cartão)

– Presente de Páscoa (cartão)

Outra coisa bem importante de se pensar é que passar do limite e acabar gastando mais do que deve é fácil visto que você não enxerga o gasto. Quando você tem dinheiro vivo em mãos, ele acaba, é finito. Já o cartão de crédito pode ter 2 ou 3x a sua renda em limite liberado, por isso é tão importante ter responsabilidade e saber se limitar.

Vamos aos detalhes com algumas dicas que podem te ajudar:

1) Busque opções sem anuidade: Existem hoje no mercado várias opções de cartão de crédito sem anuidade. Se o cartão que você utiliza ainda te cobra, ligue para a central de atendimento e solicite um desconto. Tudo é uma negociação, por mais que seja meio demorado conseguir, vale bastante a pena. Tem como economizar até R$ 600,00 por ano apenas solicitando o desconto.

2) Analise os clubes de pontos e cashback: Alguns cartões de crédito tem clube de pontos e cashback onde você consegue trocar o valor gasto por dinheiro ou por prêmios, analise essas opções para ver se valem a pena para você. Um exemplo são os programas de milhas, valem a pena para quem viaja bastante, não para todos.

3) Estabeleça um limite de gastos: Limite o valor total da sua fatura. A maior parte dos cartões tem app para que você acompanhe os seus gastos. Caso não haja, você pode acessar o site da operadora. Acompanhe semanalmente e se mantenha no limite que estabeleceu.

4) Evite utilizar para compras diárias: Se você utiliza o seu cartão de crédito como uma extensão da sua renda a chance da sua renda ser altamente comprometida e você entrar em um ciclo vicioso é grande. Despesas diárias como supermercado, gasolina, e gastos supérfluos devem ser pagos em dinheiro ou no débito, evitando comprometer a sua renda futura.

5) Evite parcelamentos: Uma situação comum que eu vejo nas faturas dos meus clientes. A pessoa se dispõe a gastar um valor em algo que não é essencial, vamos supor R$ 200,00 em presentes na Páscoa. Este valor não é alto e condiz com a renda dessa pessoa. O problema é parcelar, pois a essa compra somam-se várias outras parceladas em valores baixos, transformando uma fatura que podia ser de R$ 200,00 em R$ 1000,00.

6) Prefira utilizar em momentos de emergência: Eu costumo orientar a deixar o cartão de crédito para não se descapitalizar. Quando acontece alguma situação inesperada, a qual você não previa e já estou com o meu orçamento apertado até o próximo mês. Utilizo o cartão de crédito, para cobrir essa despes, sabendo que no próximo mês eu terei o valor completo para pagar a fatura.

Manter a fatura sobre controle nem sempre é fácil, mas tenho certeza que seguindo as orientações acima isso pode se tornar mais simples.

Nos vemos no próximo post!