Secretaria da Saúde em alerta com os focos do Aedes aegypti em Canela

0
121
A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água. Foto: Internet.

Recentemente, com a identificação de alguns focos de larvas, o município de Canela passou a ser considerado infestado pelo Aedes aegypti. A situação repete-se no município e em toda a região nordeste do Rio Grande do Sul, onde há alguns anos municípios já foram considerados infestados com o mosquito. Anualmente, focos com larvas do Aedes aegypti têm sido encontrados e controlados, mas este verão apresentou uma alternância de chuvas e períodos de calor, favorecendo a proliferação do mosquito.

A Secretaria de Saúde de Canela, por meio do Departamento da Vigilância Ambiental, relata que apesar de representar um sinal de alerta para que se faça o combate ao vetor, não há motivo para pânico na comunidade, pois não existem registros de casos autóctones (de pessoas que residem na cidade) que apresentem sintomas de Dengue, Zica ou Chikungunya, ou seja, não existem casos em que estas doenças tenham sido contraídas em nossa região. 

Medidas Reforçadas

Segundo o Médico Veterinário da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde de Canela, Rodrigo Azambuja, o importante neste momento é reforçar as medidas de combate aos possíveis criadouros do mosquito. “Somos uma região turística e é comum recebermos visitantes que adquirem estas doenças em seus domicílios e após um período de incubação acabam adoecendo enquanto fazem turismo em nossa cidade, assim como nós próprios moradores da cidade também podemos trazer a doença ao retornar de nossas viagens, sejam turísticas ou de trabalho. Precisamos cuidar para manter o nível de infestação o menor possível e assim diminuir a possibilidade de que o mosquito possa adquirir o vírus e passar a transmiti-lo”, destaca Rodrigo.

Segundo o Ministério da Saúde municípios com níveis de infestação inferiores a 1% estão em condições satisfatórias – como é o caso de Canela. Já níveis de infestação entre 1% e 3,9% representam uma situação de alerta e somente infestações superiores a 4% representariam um risco de surto de dengue.
Quanto às providências imediatas tomadas pela Prefeitura de Canela, o Secretário de Saúde Vilmar Santos ressalta que as inspeções e o monitoramento dos possíveis criadouros de mosquito em um raio de 150 metros em torno dos casos suspeitos de Dengue, Zica ou Chikungunya, notificados pela Vigilância Epidemiológica, estão sendo reforçadas. Além disso, também foi fortalecida a inspeção em pontos estratégicos e nos imóveis de bairros da cidade através da atuação das Agentes Comunitárias de Saúde.

A prevenção é a única arma contra a doença

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Como Combater

– Não deixe água parada, destruindo os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve, evita sua procriação. 

– Deixe sempre bem tampada e lave com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros

– Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho.

– Plantas que possam acumular água devem ser tratadas com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água, regando no mínimo, duas vezes por semana. Tire sempre a água acumulada nas folhas.

– Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guarde garrafas vazias de cabeça para baixo.

– Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto.

– Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechada. Em banheiros pouco usados, dê descarga pelo menos uma vez por semana.

– Retire sempre a água acumulada da bandeja externa da geladeira e lave com água e sabão.

– Sempre que for trocar o garrafão de água mineral, lave bem o suporte no qual a água fica acumulada.

– Mantenha sempre limpo: lagos, cascatas e espelhos d’água decorativos. Crie peixes nesses locais, eles se alimentam das larvas dos mosquitos

– Lave e troque a água dos bebedouros de aves e animais no mínimo uma vez por semana.

– Limpe frequentemente as calhas e a laje das casas, coloque areia nos cacos de vidro no muro que possam acumular água.

– Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos.

– Mantenha o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here