Saúde de Canela prossegue com encontros sobre o coronavírus

0
601
A reunião aconteceu dia 11 na Câmara de Vereadores. Foto: Márcio Cavalli.


Mesmo com a não confirmação das duas primeiras suspeitas de coronavírus em Canela, a Secretaria Municipal de Saúde aguarda o resultado de novos testes realizados em um adolescente que retornou da Alemanha em fevereiro. O Laboratório Central do Estado (Lacen) é o responsável pela análise, que deve ser divulgada em breve.

Independentemente disso, as equipes da rede pública mantêm-se em alerta. Os servidores já receberam instruções sobre como proceder diante de pessoas que possam apresentar sintomas e também sobre como fazer o acolhimento diante de alguma ocorrência de coronavírus.

Para conscientizar a comunidade sobre medidas preventivas, a Secretaria segue com reuniões segmentadas. Na segunda-feira (9), foi a vez dos médicos e, nesta quarta-feira (11), diretores de escolas municipais, estaduais e particulares de Canela, da Educação Infantil à EJA, estiveram na Câmara Municipal com o secretário de Saúde Vilmar Santos e a enfermeira Magali Dell Valle Cavinato, responsável pela Vigilância Epidemiológica do Município.

Segundo Vilmar, o fato de Canela ter registrado apenas suspeitas não significa que o trabalho não deva continuar vigilante. “Tivemos resultados negativos nos dois primeiros testes, o que nos deixa aliviados, tendo em vista que outras cidades do Estado já confirmaram casos de coronavírus. Porém, vamos seguir com o protocolo do Ministério da Saúde, realizar encontros que forem necessários, até que tudo volte à normalidade”, diz.

PORTARIA

Nesta quinta-feira (12), o Diário Oficial da União teve publicada uma portaria do Ministério da Saúde para conter o novo coronavírus (Covid-19). Nela, uma das medidas trata do isolamento de pacientes, que deve ser feito mediante prescrição médica ou por recomendação de agentes de vigilância epidemiológica. O prazo de isolamento é de 14 dias, podendo se estender por igual período, se o resultado de exames no paciente der positivo e houver risco de transmissão.

Esse isolamento, prioritariamente, é feito em domicílio. Em hospitais, depende do estado clínico do paciente a ser avaliado pelo médico. Já a quarentena se estende até 40 dias, ou pelo tempo necessário para reduzir a transmissão comunitária e garantir a manutenção dos serviços de saúde no território. Com informações da Agência Brasil.