São Miguel seguirá sob gestão da Prefeitura até fevereiro de 2018

0
1329
Foto: Internet.


A gestão do Hospital Arcanjo São Miguel (HASM), em Gramado, seguirá sob responsabilidade da Prefeitura por no mínimo mais seis meses (180 dias).

O prazo da quarta intervenção municipal encerrou na sexta-feira, 25 de agosto, mas o chefe do Executivo, Fedoca Bertolucci (PDT) por meio do decreto (140/2017) prorrogou a intervenção administrativa até 21 de fevereiro de 2018.

Uma das justificativas para a manutenção da intervenção é o propósito do Poder Público em recuperar a regularidade da gestão empreendida no Hospital Arcanjo São Miguel, cumprir as obrigações não adimplidas, dar continuidade e melhorar a prestação dos serviços públicos de saúde no HASM.

O decreto assinado por Fedoca também apresenta sete considerações para embasar a prorrogação do regime de intervenção. Entre elas, foi apontada a necessidade da regularização de créditos e débitos oriundos de serviços médicos prestados pelo São Miguel com os municípios de Gramado, Nova Petrópolis, Canela, Picada Café e Linha Nova e do hospital com seus prestadores de serviços.

Déficit acumulado é de R$ 1,8 milhão

A nova contratualização dos serviços de traumato/ortopedia que sofrerão reajuste a partir da prorrogação do decreto de intervenção administrativa também foi levada em consideração pelo governo municipal.

O São Miguel está sob intervenção administrativa da Prefeitura desde 29 de fevereiro de 2016. Atualmente o estabelecimento de saúde vem operando no vermelho há oito meses. O déficit acumulado é de R$ 1,8 milhão.

 “Está amadurecendo mais seis meses de administração, porém é tranquila o levantar da intervenção para uma possível negociação do hospital. Se as propostas satisfizerem ao poder público e a empresa privada, o atendimento do público e a compra de serviços seguirão normalmente”, comentou o presidente da Comissão Intervencionista do São Miguel, Jeferson Moschen. A sua declaração refere-se a uma eventual venda do hospital.