Projeto garante Gramado livre do mosquito Aedes aegypti

0
1148
Agente da vigilância ambiental em visita pelos bairros da cidade. Foto: Divulgação.


Em uma tentativa de melhorar o monitoramento do mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, zika e chikungunya, a Vigilância em Saúde de Gramado implantou um projeto-piloto e pioneiro, que através de um ponto eletrônico coleta dados exatos e precisos das armadilhas, tendo assim a garantia de que o monitoramento foi feito e que nenhum ponto do Município ficou desguarnecido de fiscalização.

Por meio do sistema são repassados relatórios com a exatidão de dia e hora em que o agente realizou a fiscalização. Além disso, a Vigilância trabalha para que a cidade fique livre do mosquito realizando os programas de monitoramento.

“Salientamos aos moradores que nos ajudem nesta batalha, observando vasos, pneus ou qualquer outro recipiente que possa armazenar água parada”, ressalta o diretor da Vigilância em Saúde, Sérgio Spannenberger.

Sugere-se que ao encontrar algum recipiente, não podendo destiná-lo ao seu devido lugar, derrame a água contida e logo após o coloque com o fundo para cima de forma que a água não acumule, no caso dos vasos de flores ou qualquer outra planta, coloque areia nos recipientes aonde a água fica acumulada.

Também tendo em vista a não infestação, na segunda-feira (29) inicia o 4º ciclo do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), que consiste em visitas em imóveis do Município em busca de depósitos que contenham água limpa e parada que possam contribuir para a proliferação do mosquito transmissor de doenças.

Através deste levantamento, serão visitados pelos Agentes de Endemias e Agentes Comunitários de Saúde quase 600 residências, o que representa 20% dos imóveis da amostra selecionada. Durante as visitas, os agentes orientarão os moradores quanto aos cuidados com os criadouros nas casas, como garrafas e tonéis com água parada, lixo mal acondicionado, cuidados e manutenção de calhas, ralos, piscinas e plantas ornamentais, entre outros.

“Gramado é considerada não infestada pelo mosquito Aedes aegypti, contudo, essas ações de monitoramento e educação dos moradores são de extrema importância para que o Município siga livre da presença deste mosquito, bem como é um dever de todo cidadão manter seu domicílio limpo e bem conservado para evitar a transmissão de doenças na população”, completa Spannenberger.