Projeto Dengoso incentiva estudantes de Canela a alimentar peixes com larvas do Aedes Aegypti

0
1342
Ele é aplicado como projeto-piloto pela equipe multidisciplinar da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Canelinha. Foto: Márcio Cavalli.


Os cuidados redobrados contra o Aedes Aegypti, neste inverno de temperaturas atípicas, motivaram a Equipe dois de Estratégia de Saúde da Família, ligada ao Grupo de Trabalho Intersetorial (GTI) da Secretaria Municipal de Saúde de Canela, a elaborar o Projeto Dengoso. Ele é aplicado como projeto-piloto pela equipe multidisciplinar da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Canelinha e envolve estudantes e professores da Escola Municipal Severino Travi, do bairro São Rafael, e faz parte do Programa Saúde na Escola (PSE).

Em nome da equipe que esteve na instituição na manhã de sexta-feira (28), o dentista Leonardo Albrecht explicou aos estudantes sobre o perigo da proliferação do mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya e a respeito de detalhes relacionados ao ciclo do Aedes Aegypti. Segundo ele, a ideia é dar cara nova às campanhas de prevenção.

“Não está surtindo o efeito desejado pelas campanhas que são feitas. Os casos de dengue aumentaram e, por isso, nós estamos fazendo algo diferente, pedagógico e focado nos jovens”, justifica o dentista.

A Equipe dois utilizou-se de vidros com capacidade de três litros, transformando-os em aquários para que seja colocado um peixe da espécie betta splendens. Como ele se alimenta de larvas, os estudantes são incentivados a colhê-las para garantir o bem-estar do novo bichinho de estimação da sala de aula. Ainda, cada turma da escola ganhou kits para recolher e depositar as larvas.

“Não só larvas do Aedes como de qualquer outro mosquito, pois os estudantes têm o compromisso de alimentar os peixes. Além da prevenção, é uma ação de cuidado. Vocês agora vão ser como se fossem agentes comunitários de saúde”, explicou Albrecht a estudantes de 8º ano.

“Ao ter o peixe, os estudantes se sentem no compromisso de cuidar e, ao mesmo tempo, tomam consciência de que estão fazendo a sua parte para evitar focos do mosquito. Merece todos os elogios a ideia criada pela equipe da Saúde”, diz o secretário de Saúde Vilmar Santos.