Programa presta atendimento especializado em Gramado

0
1793
As três profissionais que atendem no SPSEAC, um serviço da Secretaria Municipal da Cidadania e Assistência Social. Foto: Clara Casagrande.


Desde agosto de 2017, Gramado conta com um serviço especializado para atender pessoas em situação de vulnerabilidade ou risco social acolhidas em instituições. O Serviço de Proteção Social Especial de Alta Complexidade (SPSEAC) atende pessoas que estão em acolhimento institucional, sendo ele provisório, temporário, ou de longa permanência.

O SPSEAC é um serviço da Secretaria Municipal da Cidadania e Assistência Social e conta com três profissionais – uma psicóloga, assistente social e coordenadora. A equipe atende crianças e adolescentes no Abrigo Municipal e em abrigos conveniados; idosos em Instituições de Longa Permanência (ILPI); pessoas com deficiência que estão institucionalizadas e pessoas em situação de rua em acolhimento temporário.

O Serviço de Proteção Social Especial de Alta Complexidade oferta serviços especializados, em diferentes equipamentos e modalidades, que visam a segurança dos acolhidos, priorizando o fortalecimento, a preservação, a autonomia e o resgate da convivência familiar e comunitária. Em alguns casos, também se trabalha a construção de novas referências familiares e vínculos comunitários adotando-se, para isso, intervenções psicossociais técnicos operativos de acolhida e acompanhamento para que os objetivos da Proteção Social sejam alcançados.

Atendimento a mais de 180 pessoas

Os atendimentos efetuados no Abrigo Municipal são desenvolvidos diariamente visando conhecer, acompanhar e intervir na realidade individual de cada criança e adolescente acolhido. Desenvolvem-se estratégias de proteção, restabelecimento e fortalecimento de vínculos entre eles e sua rede primária, que muitas vezes é a própria família de origem e a comunidade.

Nas instituições de acolhimento, os atendimentos são feitos mensalmente ou quando se faz necessário. Também são efetuados atendimentos com o grupo familiar e pessoas que têm vínculos com os idosos acompanhados pela equipe.

Os atendimentos de pessoas em situação de rua, acolhidas temporariamente em instituição parceira do município, são efetivados após o encaminhamento da equipe técnica, serviço de referência ou gestão. No atendimento, a equipe identifica as demandas psicossociais e trabalha a partir delas.

“Tivemos algumas situações em que os usuários com comprometimento mental não possuíam documentação e nem conseguiam se lembrar quem eram, sendo necessário a equipe desenvolver procedimentos para identificar o cidadão, levá-lo aos atendimentos necessários na rede de saúde e segurança pública, bem como efetuar busca-ativa visando a localização e o contato de seus familiares. Nos casos em que isto não é possível, entramos em contato com a Assistência Social do município de origem para analisarmos quais procedimentos adotar em conjunto” ressalta Crislaine Homem, Coordenadora do Serviço.

Desde o início das atividades, em agosto de 2017, foram atendidas, entre acolhidos e núcleos familiares, 186 pessoas. Atualmente, em maio de 2018, os Serviços de Proteção Social Especial de Alta Complexidade acompanha e atende 32 pessoas – crianças e adolescentes, idosos, pessoa com deficiência e pessoas em situação de rua – acolhidas no Abrigo Municipal e em cinco instituições conveniadas na região. Nos meses de janeiro ate abril desse ano o serviço atendeu a 10 pessoas em situação de rua que foram acolhidas temporariamente.

“Entre os avanços do serviço, está a consolidação de um termo de cooperação com o CRERH, para o acolhimento temporário de pessoas em situação de rua, por até três dias, garantindo que esses cidadãos tenham preservada sua garantia de acolhida.”, destaca o secretário adjunto da Assistência Social, Ricardo Cazanova.

Regularização do serviço

O município estava com pendências no Plano Municipal de Assistência Social apresentado ao Governo Federal, desde 2016. Uma dessas pendências era o próprio Serviço de Alta Complexidade o qual, apesar de ter uma demanda expressiva não contava com uma equipe exclusiva. “A equipe da alta complexidade foi uma das primeiras demandas no início da gestão Fedoca e Evandro em razão da sua importância para o município. Hoje percebo do quão é importante e necessário o trabalho destes profissionais que atuam diariamente com nossas crianças, adolescentes e idosos que estão institucionalizados”, Salienta a Secretária Ana Maria Lovatto Sartori.

O Serviço de Proteção Social de Alta Complexidade (SPSEAC) faz parte do Sistema Único de Assistência Social – SUAS, que organiza as ações da assistência social em dois tipos de proteção social. A Proteção Social Básica é ofertada nos CRAS e destinada à prevenção de riscos sociais e pessoais, por meio da oferta de programas, projetos, serviços e benefícios. Já a Proteção Social Especial, ofertada no CREAS e no SPSEAC, destina-se a famílias e indivíduos que já se encontram em situação de risco e que tiveram seus direitos violados.