Profissionais recebem capacitação para monitorar melhor os índices de doenças

0
1033
Os profissionais da saúde que não conseguiram participar devem procurar a VISA para agendar nova data. Foto: Manuela Teixeira.


Visando aumentar a notificação de doenças compulsórias e, com isso, qualificar o monitoramento dos índices de saúde do município e a execução de políticas públicas, Gramado capacitou cerca de 53 profissionais da área durante o ano de 2018. A capacitação, uma iniciativa da Secretaria da Saúde e da Vigilância em Saúde, inédita até este ano, ocorreram em junho, julho e no dia 16, gratuita a médicos, dentistas, psicólogos, nutricionistas da rede pública e privada.

O objetivo é atualizar para as normas relativas à vigilância sanitária, como as obrigações estipuladas pela Portaria 204/2016, que define a lista de doenças para notificação compulsória aos serviços de saúde pública, como HIV, hepatite, tuberculose e tétano. Além disso, a presença no curso era obrigatória para emissão ou renovação do Alvará Sanitário.
Segundo a enfermeira Ellen Pedroso, que ministrou a terceira edição da capacitação com a farmacêutica Aline Matter, a notificação dessas doenças são importantes para que pacientes diagnosticados com determinadas doenças recebam a devida assistência dos órgãos de saúde pública.

“É de extrema importância termos dados fiéis, que retratem com exatidão a situação de saúde das pessoas, isso possibilita a organização dos serviços e a criação de protocolos que melhorem o atendimento, além de otimizar o uso dos recursos. Outro aspecto das capacitações é reforçar a rede de vigilância para que qualquer ocorrência de doenças possam ser monitoradas. “
Os profissionais da saúde que não conseguiram participar devem procurar a VISA para agendar nova data.

Curso para esteticistas e manipuladores de alimentos

Além da capacitação inédita aos profissionais da saúde, a Vigilância em Saúde realiza anualmente o Curso de Atenção à Vigilância para trabalhadores da área da estética e manipuladores de alimentos, que ocorre em setembro e outubro, voltado às boas práticas. Em 2018, 305 profissionais destes setores participaram dos encontros.

No caso dos manipuladores de alimentos, o curso aborda boas práticas no preparo e na manipulação de alimentos, doenças transmitidas pelos alimentos, higiene corporal e do ambiente, forma correta de embalagem, rotulagem e estocagem, vacinação exigida. Já no caso de esteticistas, cabeleireiros, manicures e afins, o curso aborda a esterilização do material e controle de qualidade, manutenção de equipamentos e abordagem sobre as principais doenças pertinentes à ocupação.