Por risco de desabamento, Bombeiros interditam edifício e posto de combustível no Centro de Canela

0
3708
Cerca de 15 pessoas residem no edifício construído em 1980. (Foto: Divulgação)


Por medida preventiva de segurança, o Corpo de Bombeiros interditou um prédio comercial/residencial e um posto de combustível no Centro de Canela (Rua Osvaldo Aranha). A ação atendeu a uma determinação do Ministério Público (MP), que instaurou um inquérito civil e notificou no final da tarde de quinta-feira, dia 17, a corporação para que medidas preventivas e urgentes fossem adotadas devido ao risco eminente que o Edifício Querência e Posto de Combustíveis apresentam.

O prédio foi construído sobre um canal, há 38 anos, onde passa toda a água fluvial/pluvial da região central de Canela. E com o passar dos anos, as colunas da edificação começaram a apresentar rachaduras. Em abril deste ano, a atual administração municipal foi notificada para apresentar ao MP, com máxima urgência, um laudo técnico da edificação. Uma empresa foi contratada e o laudo entregue ao MP.

Baseado nas avaliações, o promotor de Justiça, Paulo Eduardo de Almeida Vieira emitiu despacho no final da tarde de quinta-feira, dia, para que o Corpo de Bombeiros de Canela tomasse medidas precaucionais adequadas ao caso, incluindo a interdição dos prédios.

Na manhã de sexta-feira, 18 de maio, a Prefeitura, os Bombeiros e administradora do Edifício Querência tiveram uma reunião e decidiram reunir os moradores do prédio para informar toda a complexidade da situação. Na ocasião, os moradores e empresários foram orientados a deixar os apartamentos e lojas comerciais que foram interditadas pelo Corpo de Bombeiros no final da tarde. Cerca de 15 pessoas habitam o prédio.

Existe um risco laudado por responsáveis técnicos, por isso orientamos as pessoas a deixarem o prédio,” afirma o comandante do Bombeiros, em canela, sargento Miguel.

Ele esclarece que duas ou três “sapatas” das 12 que sustentam o edifício conforme conclusão técnica de uma comissão do 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros (com sede em Caxias do Sul) “estão comprometidas porque foram feitas dentro do arroio,” comenta Miguel.

DESVIO DO CANAL

Está em andamento na Prefeitura de Canela uma licitação para obra que desviará o canal que passa embaixo do edifício. Com a obra, toda a água será canalizada por uma nova tubulação que passará por baixo da calçada e da rua. O prefeito Constantino Orsolin (MDB) ressalta a obra será iniciada assim que os trâmites burocráticos permitirem. O valor do investimento é de aproximadamente R$ 800 mil.

AUDIÊNCIA NO MP

Na próxima terça-feira, 22 de maio, será realizada uma audiência no Ministério Público de Canela, contando com a presença de moradores do edifício, empresários afetados, representantes da Prefeitura e dos Bombeiros. Na ocasião, deverá ser apresentado um novo laudo técnico envolvendo o prédio que será novamente avaliado pelo MP.