Polícia Civil prende suspeitos de envolvimento na execução de Celso Berwig

0
2897

Na manhã desta terça-feira, 11, a Polícia Civil de Gramado efetuou a prisão de três suspeitos de envolvimento na execução de Celso Berwig, ocorrida no dia 12 de maio do corrente ano, quando indivíduos armados, anunciando serem policiais, invadiram o imóvel e executaram a vítima com diversos disparos de arma de fogo (calibre 9mm).

Ao longo das investigações, apurou -se que o crime guarda relação com o narcotráfico, sendo que um filho da vítima, adolescente, estaria devendo valores referentes ao recebimento de drogas fornecidas por facção criminosa que busca o controle da venda de drogas em Gramado. A vítima, pai do adolescente em dívida com a facção, teria se negado a pagar as dívidas do filho, ameaçando o responsável pela cobrança de procurar a Polícia caso as coações persistissem. Alguns dias depois, foi executada em represália a sua reação firme contra os traficantes.

Um dos suspeitos presos já estava recolhido em prisão temporária pelo envolvimento do crime. Na ocasião de sua prisão, dia 27 de maio, foram apreendidos em seu poder quatro quilos de maconha e duzentos gramas de cocaína, resultando, também, na sua autuação em flagrante. Nesta data, foi preso preventivamente, uma vez que obtidas provas robustas de que foi o responsável pelas cobranças da dívida que o adolescente, filho da vítima, tinha com a facção, cobranças ocorrida dias antes da execução, bem como por ameaças de morte endereçadas a vítima e sua família. Além disso, foram encontrados indicativos de que estava presente na execução da vítima.

Os outros dois suspeitos foram presos em cumprimento a mandados de prisão temporária. Um se encontrava preso em razão de flagrante por tráfico de drogas, ocorrido também no dia 27 de maio, em ação da DP Gramado, que resultou na apreensão, em seu poder, de seis quilos de maconha e cerca de cento e cinqüenta gramas de cocaína. No curso das investigações do homicídio, apurou -se que o suspeito também estava junto aos executores do crime, que seriam oriundos da região metropolitana. O terceiro preso foi detido em sua casa, em Canela. O suspeito trabalhava em aplicativo de transporte de passageiros. Restou apurado que atuava no transporte de drogas, sendo responsável por levar o suspeito preso preventivamente em locais de entrega de drogas e cobranças de dívidas do tráfico. Foi apurado que de uma linha telefônica cadastrada em seu nome partiram ameaças ao filho da vítima. As investigações prosseguem no sentido de identificar os demais envolvidos no crime, já havendo indicativos robustos do envolvimento de dois detentos na ordem de execução e na organização e logística do assassinato.