Polícia Civil, MP e Prefeitura de Canela fiscalizam mercados e abatedouros

0
1717
Foto: Polícia Civil


Uma ação conjunta realizada nesta quinta-feira (19) pela Polícia Civil de Canela, Ministério Público de Canela, Secretaria Municipal de Saúde (Vigilância Sanitária) e Inspetoria Veterinária do RS fiscalizou mercados e abatedouros em Canela.

A ação fiscalizou a venda irregular de produtos em mercados, especialmente de origem animal (carnes, queijos e derivados), bem como abatedouros clandestinos, e teve objetivo de apreender produtos sem procedência, com procedência duvidosa ou sem autorização para comercialização.

Ao todo, 25 policiais civis e servidores das instituições citadas participaram da ação, que fiscalizou oito mercados, concentrando as atividades nos Bairros Centro, Canelinha, Leodoro Azevedo, São Lucas, Vila Boeira e Villa Maggi.

Foram apreendidos cerca de 300kg de produtos impróprios para o consumo humano, entre carnes e alimentos, os quais restaram apreendidos pela Vigilância Sanitária no local e mediante termo assinado pelos proprietários dos estabelecimentos fiscalizados.

Um investigado foi detido pela Polícia Civil e conduzido à Delegacia de Polícia, respondendo por crimes contra a saúde pública, as relações de consumo e ordem tributária. Após interrogatório, foi liberado e responderá em liberdade.

O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Polícia de Canela, informou que a ação também atingiu locais da cidade ligados à receptação de carne oriunda de abigeato. A autoridade policial informou que se trata da terceira ação da mesma natureza realizada pelos órgãos fiscalizadores em Canela, tendo observado, ano a ano, que os mercados têm buscado respeitar a legislação e, por consequência, o próprio consumidor, confirmando a importância das atividades realizadas pela Polícia Civil em conjunto com outras instituições.

O Promotor de Justiça de Canela, Dr. Paulo Eduardo de Almeida Vieira, destacou a importância de operações como a realizada hoje, pois além da possibilidade de responsabilização criminal, civil e administrativa dos fornecedores de produtos impróprios para o consumo humano, busca também a proteção do consumidor, que é sempre a parte mais frágil em uma relação de consumo. Parabenizou a todos pelo resultado alcançado, em especial os servidores públicos que participaram da ação conjunta, os quais, embora o cenário político atual não lhes seja favorável, seguem firmes na missão de prestar serviço público de qualidade.