Polícia Civil e Prefeitura de Canela realizam ação de fiscalização em estação de esgoto

0
945


Polícia Civil de Canela, através do Cartório de Combate à Corrupção, aos Crimes Ambientais e à Lavagem de Dinheiro, e a Prefeitura Municipal de Canela, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Mobilidade, realizaram ação conjunta de fiscalização junto à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Santa Terezinha.

Na ação, estiveram presentes à unidade de tratamento de esgoto do Bairro Celulose policiais civis e servidores da Secretaria Municipal, ocasião em que realizada coleta de diversas amostras de água, inclusive durante e após o tratamento pela CORSAN – Companhia Riograndense de Saneamento. As amostras foram encaminhadas a laboratório para análise e verificação da qualidade da água tratada, inclusive para verificação de eventual prática de poluição ambiental.

O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Polícia de Canela, informa que há em tramitação inquérito policial que investiga se, após tratada a água pela estação e lançada no curso do Arroio Santa Terezinha, há poluição ambiental, o que é crime previsto em lei. A autoridade policial informa que estão sendo verificadas as qualidades da água em todas as estações de tratamento no Município, sendo aguardados os resultados clínicos em relação às amostras coletadas na ação desta sexta-feira (16). Medeiros afirma que já realizou investigação similar no Município no ano de 2016, havendo indiciamento naqueles autos pela prática de crime ambiental, razão pela qual novamente investigados os fatos para monitoramento da qualidade da água no Município. “A questão é técnica e os exames laboratoriais realizados ao longo das investigações, somados às análises de amostras coletadas nesta sexta-feira, devem indicar ou não se há poluição ambiental com o lançamento da água, após tratamento, nos arroios da cidade”, complementou Medeiros.

O Secretário Municipal do Meio Ambiente de Canela, Jackson Muller, informa que se verificou, na vistoria realizada, grave poluição causada no arroio Santa Terezinha, de forma continuada e sistemática, decorrente de ETE subdimensionada e com reduzida capacidade de tratamento dos esgotos gerados pelos bairros Alto dos Pinheiros, Santa Terezinha e Vila Suzana, que correspondem a cerca de 30% da população de Canela, bem como que o lançamento de efluentes apresenta coloração e odores que alteram as características do corpo receptor, modificando a ecologia e promovendo a destruição da fauna de peixes, crustáceos e invertebrados. As avaliações preliminares indicam que o sistema de de tratamento dos esgotos encontra-se visivelmente saturado, agravando o quadro de degradação constatado no arroio Santa Terezinha. Evidencia-se com a vistoria realizada pelos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente que o sistema se encontra subdimensionado para atendimento das demandas existentes.

Na tarde desta sexta-feira (16), a Polícia Civil interrogou servidores da CORSAN, que estiveram acompanhadas no interior da Delegacia de Polícia por advogada da Companhia.