PDT realiza encontro com a presença de Ciro Gomes e Carlos Lupi

0
1061
O ex-presidenciável falou por cerca de 20 minutos analisando a conjuntura política brasileira. Foto: Gustavo Bauer.


Grandes lideranças políticas participaram neste domingo (18) de encontro realizado pelo PDT de Canela, no Hotel Pampas da Serra. Ciro Gomes foi o mais aguardado e inflamou o público durante seu discurso bastante crítico ao atual governo e propositivo ao destacar pontos do projeto nacional de desenvolvimento. Mais de 350 pessoas lotaram o encontro mostrando a mobilização pedetista na Região das Hortênsias.

Além de Ciro Gomes, estiveram no evento o presidente nacional do PDT Carlos Lupi, o presidente estadual Pompeo de Mattos, a presidente da Ação da Mulher Trabalhista Miguelina Vecchio, o deputado federal Afonso Motta, Romildo Bolzan Jr atual presidente do Grêmio e possível candidato do PDT ao governo do Estado, além de outras lideranças estaduais e regionais. O presidente do PDT de Canela, Gino Bazzan recepcionou as autoridades e comandou os trabalhos.

Aos gritos de “Brasil, pra frente, Ciro Presidente!”, o ex-presidenciável falou por cerca de 20 minutos analisando a conjuntura política brasileira. Foram muitas críticas ao atual governo, mas também à esquerda. Ciro elencou projetos do PDT para diversas áreas da sociedade e motivou a juventude a não desistir do país. “Precisamos limpar o Brasil da baboseira esquerdopata de um lado e do fascismo direitista e entreguista de outro. A inteligência e o diálogo precisam prevalecer para que o Brasil se reconcilie com a sua sorte”, destacou Ciro.

Presidente do PDT de Canela, Gino Bazzan afirma que o evento foi um sucesso. “Foi um momento único em que conseguimos reunir grandes lideranças, mostrando que o PDT está cada vez mais forte em Canela e na região. Agradecemos a participação de todos os companheiros e companheiras, que marcaram presença e vem engrandecendo o nosso partido. E também ao Hotel Pampas, ao MCDR, a executiva municipal e o ecônomo Maurício, nossos parceiros neste evento”, avalia Gino Bazzan.