Paralelo Festival movimenta a Serra Gaúcha neste fim de semana com oito shows gratuitos em São Francisco de Paula

0
676
O cantor, compositor e violonista João Bosco faz show sábado, dia 11 Foto: Marcos Hermes / Divulgação.


Um dos eventos mais importantes da cena musical da Serra Gaúcha, o Paralelo Festival chega a sua terceira edição neste fim de semana, reunindo artistas de diferentes partes do mundo e dos mais diversos estilos, passando pela MPB, jazz, blues e a música regional gaúcha. Nos dias 11 e 12 de dezembro, o público poderá conferir oito shows gratuitos às margens do Lago São Bernardo, em meio à natureza de São Francisco de Paula.
 
A maratona musical inicia às 17h de sábado com abertura do músico e poeta Pedro Jules, que foi selecionado em votação popular nas redes sociais do festival, mostrando seu projeto autoral que alia psicodelia, poesia e performance. Em seguida, às 18h, quem assume os microfones é o Quinteto Canjerana, grupo que une temas instrumentais de cunho nativista gaúcho com arranjos autorais trazidos da música de câmara. A programação do dia segue às 19h15 com show de Ari Borger, mestre em piano blues, boogie woogie e hammond B3, que se apresentará acompanhado pelo seu trio, e finaliza às 20h30 com João Bosco, um dos maiores nomes da música popular brasileira, mostrando repertório que acompanha seus quase 50 anos de carreira, além do seu mais recente disco Abricó-de-Macaco.
 
No domingo, a programação começa mais cedo, às 16h, com o show de abertura da Cambará Slide Songs, banda gaúcha que mistura folk, rock e blues. Quem sobe ao palco depois, às 17h, é o Gabriel Grossi Quarteto. Liderado por um dos melhores harmonicistas do mundo, o grupo instrumental reinventa clássicos das décadas de 60 a 90, interpretando composições que vão de Beatles a Bob Marley com novos arranjos e improvisações. O festival continua às 18h15 com show da cantora e compositora norte-americana Nora Jean Wallace, que vem de Chicago para São Chico apresentar standards do blues, e encerra às 19h30 com um grande encontro de dois grandes nomes da música regional gaúcha no palco: João de Almeida Neto & Luiz Carlos Borges.
 
Realizado sempre com entrada franca, e no mesmo local, o Paralelo Festival surgiu em 2019 tendo a diversidade como marca registrada por reunir pessoas e artistas das mais diferentes idades, gostos, gêneros e opiniões. Considerado um dos festivais mais ecléticos e democráticos do país, o evento sempre uniu atrações musicais que abrangem diversos ritmos e estilos. Em sua primeira edição, contou com Erasmo Carlos, Demônios da Garoa, o bluesman norte-americano Vino Louden, além das atrações gaúchas Barba & Blues, Musa Híbrida, Marmota, Yangos e Camila Toledo. Em 2020, abriu espaço para bandas da América Latina, recebendo o quarteto uruguaio Milongas Extremas e a banda argentina Fiero. No line-up, também estavam o norte-americano Dex Romweber, o cantor e compositor Toquinho, além das bandas instrumentais gaúchas Luciano Leães & The Big Chiefs, Trabalhos Espaciais Manuais e MOIO, assim como o grupo 50 Tons de Pretas, que foi eleito em votação popular para abrir o festival.

Conheça detalhes sobre as atrações da terceira edição do Paralelo Festival

Pedro Jules (Rio Grande do Sul)
Pedro Jules é um projeto musical psicodélico com influências de rock da década de 70. Unindo a dramaturgia poética das canções à teatralidade do show, o músico e poeta coloca a lisergia das guitarras e das harmonias e arranjos à serviço da poética do canto, que da vida às metáforas poéticas das letras. O artista lançou recentemente o álbum Antes que as cores façam sentido, que reúne parte do seu trabalho autoral.

Quinteto Canjerana (Rio Grande do Sul)
Criado em 2012, o quinteto hoje formado pelos músicos Fernando Graciola (violão), Zoca  Jungs  (guitarra e viola), Mauricio Horn (acordeon), Alex Zanotelli (contrabaixo) e Mauricio “Lito” Malaggi (bateria), compõe e executa temas instrumentais de cunho nativista gaúcho, aliados a arranjos autorais trazidos da música de câmara. O conceito foi batizado pelo grupo de “Música Gaúcha Contemporânea”.

Ari Borger Trio (Brasil)
Em atividade desde 1985, Ari Borger foi pioneiro no piano blues brasileiro, inspirando diversos instrumentistas com seu soar verdadeiro e autêntico, que traz improvisos em linhas ora melódicas, ora incendiárias. Já foi duas vezes headliner do maior festival de piano blues e boogie woogie do mundo, o Cincy Blues Fest, em Cincinnati, feito inédito para um músico de fora dos Estados Unidos, além de ter aberto shows de grandes artistas, como B. B. King. Tem sete discos gravados, que figuraram entre os top 10 em conceituadas publicações americanas e britânicas. No Paralelo Festival, o músico mostrará todas as influências de sua carreira, alternando entre o blues tradicional, boogie woogie, soul, groove e o jazz, trazendo ainda alguns temas autorais.

João Bosco + Trio (Brasil)
Próximo de completar 50 anos de carreira, o cantor, compositor e violonista mineiro é autor de alguns dos maiores clássicos da música popular brasileira, como O Bêbado e A EquilibristaFalso Brilhante e O Rancho da Goiabada, feitas com Aldir Blanc, seu grande parceiro. Sua carreira deslanchou nos anos 70, principalmente após Elis Regina gravar Dois pra lá, dois pra cá, bolero que fez grande sucesso. Lançou discos importantíssimos para a história da MPB, como Caça à RaposaGalos de BrigaLinha de PasseGagabirô As Mil e Uma Aldeias, entre outros tantos trabalhos que unem o samba carioca, a música africana, a canção popular, o samba canção e o jazz. Em São Francisco de Paula, João Bosco subirá ao palco acompanhado pelo trio formado por Ricardo Silveira (guitarra), Guto Wirtti (contrabaixo) e Kiko Freitas (bateria).

Cambará Slide Songs (Rio Grande do Sul)
Projeto acústico que mistura folk, rock e blues, a banda gaúcha tem um repertório inspirado em artistas como Muddy Waters, Howlin’ Wolf, The Allman Brothers Band, Canned Heat, The Rolling Stones, Eric Clapton e B.B. King. Com um trabalho autoral que combina referências bibliográficas e cinematográficas com lendas e histórias gaúchas como Negrinho do Pastoreio e Lanceiros Negros, o grupo foi nomeado em referência ao personagem Rodrigo Cambará, da trilogia épica O Tempo e o Vento, de Erico Veríssimo.

Gabriel Grossi Quarteto (Brasil)
Reconhecido internacionalmente como um dos maiores instrumentistas de harmônica no planeta, Gabriel Grossi vem ao Paralelo Festival apresentar seu álbum RE DISC COVER, lançado em maio deste ano. Acompanhado pela sua harmônica e com seu quarteto, que conta com Eduardo Farias (piano e teclados), André Vasconcellos (baixo) e Sérgio Machado (bateria), o músico conduzirá o público por um passeio totalmente original através de clássicos absolutos do pop rock das décadas de 60 a 90, reinventando verdadeiras pérolas populares da música universal, de Stevie Wonder, Nirvana e Michael Jackson a Oasis, Queen, Beatles, The Police e Bob Marley.

Nora Jean Wallace (Estados Unidos)
Sétima filha de um meeiro do Mississippi, Nora Jean Wallace cresceu com seus 15 irmãos e irmãs em uma plantação. Trabalhando impiedosamente nos campos de algodão durante a semana com sua família, ela ansiava pelas noites de sexta e sábado, quando seu pai, Bobby Lee Wallace, e seu tio, Henry “Son” Wallace, ambos conhecidos intérpretes de blues, se reuniam na casa da sua avó para interpretar clássicos. Nora Jean também foi exposta ao melhor da música gospel por sua mãe, Ida Lee Wallace, que fazia serenatas para a família com canções de Mahalia Jackson e The Staples Singers, entre outros. Com tanta música em sua vida, era quase inevitável que ela encontrasse sua própria voz. A primeira música que cantou foi Howlin’ for My Darling, por volta de seus quatro ou cinco anos. Se profissionalizou mais tarde, depois dos 20 anos, quando foi para Chicago, a capital do blues, e de lá saiu para excursionar em diversos locais do mundo. Em 2004, recebeu dois prêmios W. C. Handy – um de Melhor Artista Revelação e outro de Melhor Artista Feminina de Blues Tradicional do Ano. O Museu de Ciência e Indústria de Chicago a nomeou uma das dez grandes mulheres do blues de Chicago, considerando-a a nova rainha do blues. Recentemente, lançou álbum Blues Woman, com a participação da lendária estrela do blues, Kim Wilson, do The Fabulous Thunderbirds.

João de Almeida Neto & Luiz Carlos Borges (Rio Grande do Sul)
Natural de Uruguaiana e dono de uma voz forte que carrega o temperamento dos homens da fronteira, João de Almeida Neto é conhecido como a “Voz do Rio Grande”. Já Luiz Carlos Borges nasceu em Santo Ângelo e é reconhecido pelos seus mais de 30 discos gravados, com sua voz e acordeon. São considerados dois dos maiores nomes da música regional gaúcha e acumulam diversos prêmios pelas suas carreiras independentes. No show que apresentam juntos às margens do Lago São Bernardo, eles interpretarão seus grandes sucessos, acompanhados de uma poderosa banda, que une instrumentistas escolhidos entre os melhores do Rio Grande do Sul.

SERVIÇO – EVENTO PRESENCIAL – MÚSICA
Paralelo Festival 2021
Dias 11 e 12 de dezembro
Lago São Bernardo
São Francisco de Paula/RS
Entrada franca

Dia 11 de dezembro, sábado
17h – Pedro Jules (Rio Grande do Sul)
18h – Quinteto Canjerana (Rio Grande do Sul)
19h15 – Ari Borger Trio (Brasil)
20h30 – João Bosco + Trio (Brasil)

Dia 12 de dezembro, domingo
16h – Cambará Slide Songs (Rio Grande do Sul)
17h – Gabriel Grossi Quarteto (Brasil)
18h15 – Nora Jean Wallace (Estados Unidos)
19h30 – João de Almeida Neto & Luiz Carlos Borges (Rio Grande do Sul)

Ações de prevenção e combate ao coronavírus
Para garantir a segurança do público, dos artistas e de todos os envolvidos no evento, o Paralelo Festival será realizado seguindo protocolos sanitários, tais como controle de acesso, uso obrigatório e correto da máscara e distanciamento. As regras serão atualizadas de acordo com as medidas de enfrentamento à Covid-19 no município de São Francisco de Paula e os demais protocolos sanitários vigentes no momento da realização do evento.