segunda-feira, julho 26, 2021

Minha tia

Minha tia querida minha tia queridinha minha tia do coração é você mesma, Ninha queria lhe dizer que te amo e quero dizer que te amo muitas e muitas vezes sem a lamúria...

Pela Lua

A verdade seria um abismo ou uma simplicidade? uma estrada de terra passa entre duas casas e um rancho é noite de lua azul as pessoas que caminham a céu aberto vêem suas sombras e tudo...

Sibilo eterno

anseio o presente mas vivo em falta sem resposta o Ofídio demiurgo me cobra uma dívida ancestral ser de antes e depois na encruzilhada urro por clemência sem resposta...

Nós, Ártemis

Até falta tem nome o vazio o nada a morte um não E o que seria Órion senão um nome no céu?

O último dia

Está acabandoé o último diadia de Dionísiofaçamos a festaantes do fim com álcool, cigarros e urrosvamos dilatar esse tempocruel e relativo agora o resto é ilusãonão adiantanão há voltao passado é uma mágoae fruto de uma paixão...

O primeiro dia

Ele amanhece No silêncio de cada um Entre angústia e calma Como vidro e prata De um espelho irresoluto Ele escalda No sussurro da luz tarde Os segredos Humanos e abissais

Globo de neve

Minha cabeça como um globo de neve balança para mudar alguma coisa no cenário e olhe só… pouca se agita envolta dessa imagem quem dera...

Côte d’Azur

Um deságue de belezacantos e saltos fantasiando outros carnavais no desfile pelas encostas sobremesa de paixão à vista de algo que parecia inventado mas a Banda só tocava aquilo...

O outro

O outroali quase sempre entre risadas e prosas muito de cada pouco guardado tencionam as linhas tensas quase sempre ditos tecidos à luz do sol ao frio da lua por perto quase sempre

Alex

Um sapateado loucoQue treme o teu redor Mulher à beçaTua fúria gira sem dóDá pra sentir a tua ganaEletrizada Dos pés à cabeça Venha na bike aladaMostra tua coroa decachos...