Mães voltam a estudar para dar exemplo para os filhos

0
2945
Cláudia engravidou de Anita aos 18 anos e parou de estudar. Hoje aos 26, está se preparando para o ENCCEJA. Foto: Arquivo Pessoal.


Ser mãe, estudar, trabalhar, cuidar da casa. A decisão de gerar um filho implica em diversas escolhas. Conciliar a maternidade com a vida social e profissional é um grande desafio, tanto que algumas mães optam por parar de estudar por algum tempo para dar atenção para os filhos. E quando decidem voltar, é necessário aprender a dividir o tempo entre filhos, estudos, casa e trabalho.

A maternidade traz consigo, além das escolhas, a responsabilidade do exemplo. Pois os pais, não serão só pais, mas o ponto de referência dos filhos, as pessoas que eles “imitarão” por um longo período.

Ana Jara, Claudia, Jaqueline e Marlei representam a história de milhões de mães no Brasil, que como elas, por algum motivo, tiveram que parar os estudos em função da maternidade. O sonho destas cinco mulheres, além de voltar a estudar, é servir de exemplo para os filhos e mostrar-lhes o valor e as oportunidades que surgem quando se tem um diploma.

Anita é sua prioridade

Cláudia e a filha Anita. Foto: Arquivo Pessoal

Cláudia Mello se tornou mãe com 18 anos, hoje tem 26. Precisou parar de estudar, porque junto com a descoberta da gravidez, na ecografia, veio a notícia que ela tinha um coágulo no útero e não podia fazer esforço. ” A escola onde eu estudava tinham escadas, e eu não podia subir e descer, mas não me arrependo, eu tinha que dar prioridade para ela naquele momento”.

Ela conta que parou de estudar no segundo ano do ensino médio, mas exige que a filha estude e quer ser o espelho dela. “Quero estudar para ser um exemplo para ela, e fazer uma graduação futuramente. Ela me olha e diz “mamãe quero ser como você quando crescer”. Percebo que ela gosta daquilo que faço”, diz a mãe.

Esforço para ser reconhecida

Ana Jara e os filhos, Nathan e Eduarda. Foto: Arquivo Pessoal.

Por questões pessoais, Ana Jara Barbosa parou de estudar em 2002, e só agora, em 2018, depois de ser mãe de dois filhos está conseguindo retornar aos estudos. “Quando vi que poderia voltar vi muitas oportunidades, principalmente em aprender”.

Ela conta que fica triste, pois consegue ajudar pouco os filhos com as tarefas da escola. “Eles vão ver que depois de anos sem estudar eu voltei. Então, espero que signifique pra eles”. Ana tem 30 anos, um filho de 14 anos e uma filha com 9 anos e espera que eles se espelhem nela.

Pais são exemplos na vida

Jaqueline e o filho de dois anos. Foto: Arquivo Pessoal.

Ao descobrir que estava grávida, há três anos, Jaqueline Kunzler Mewius, relata que ficou sem ânimo para ir para a escola e decidiu parar de estudar.  “Depois que ele nasce eu percebi que deveria voltar para ser um exemplo para meu filho”.

Agora, com o filho com dois anos, ela diz que voltou a estudar para mostrar para o ele a importância do estudo e da aprendizagem. “Sem estudo não somos nada, não conseguimos um emprego bom. É importante também para melhorar nosso país, pois estudando temos mas oportunidades na nossa carreira”.

Para a mãe que hoje tem 21 anos, os filhos tem os pais como exemplo na vida. “Acho que meu filho me tem como exemplo por que se eu não terminar a escola como vou cobrar que ele estude se eu não concluí os meus estudos”, comenta ela.

Vontade de poder ajudar os filhos

Marlei tem 36 anos e dois filhos. Foto: Arquivo Pessoal.

Atualmente com 36 anos, Marlei dos Santos, como Jaqueline e Cláudia, também parou de estudar em função da maternidade. Conta que no ano de 2005, quando engravidou, estava fazendo o EJA e não sentiu mais vontade de estudar, como também não conseguia prestar atenção nas aulas.

Neste ano, resolveu voltar a estudar e relata que foi pelo filhos. “Sonho com um ótimo futuro pra eles e também desejo ser bem sucedida na vida. Com os estudos concluídos, tudo fica mais fácil. E na sociedade somos vistos com outros olhos” comenta a mãe.

Para ela, seus filhos é que são um exemplo. Como Ana Jara, também quer poder fazer mais pelos filhos na hora de ajudá-los nas tarefas escolares, “sabendo algo mais poderei fazer isso”. Marlei diz que irá se esforçar para ser um exemplo para os filhos e na sua opinião, ser um exemplo depende de cada mãe. “Exemplos são muitos. Mas que devem ser seguidos pelos filhos são poucos. Vou me esforçar pra ser um exemplo para os meus”.

A escritora dos livros “Ser Mãe, e a Vida Continua” e “Ser Mãe e Viva a Vida” e Doutora em Psicologia Social, Rosana Glat explica que para conciliar a maternidade, trabalho e estudos e lidar com este desafio é necessário planejamento. “Quando uma criança entra na sua vida, você precisa se organizar”.

Projeto ajuda 72 mães a voltarem a estudar

Na última quinta-feira (11), no Polo da UAB Gramado, aconteceu palestra de inauguração do curso preparatório para o ENCCEJA. Foto: Laura Silveira.

As quatro mães souberam através da AMAE – Associação Materna de Apoio e Empreendedorismo, que ocorreria um curso preparatório para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja Nacional), oferecido pela UAB Gramado. Nesse sentido, o “Todos pela Educação”, retomado neste ano, tem parceria com a UGE ( União Gramadense de Estudantes), o Janz Team, e o CRAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher), trabalhando juntos com o intuito oportunizar a essas mães o término do ensino fundamental e ensino médio através da prova do ENCCEJA.

O projeto oferece grupos de estudo, professores/orientadores voluntários, apostila e sala de recreação com recreacionistas voluntárias para crianças até cinco anos. Para este ano, após  uma reunião com a Coordenadora do Polo da UAB (Universidade Aberta do Brasil), Maria Gorete R. da Silva, ficou definida a parceria para o encaminhamento das mães inscritas através da AMAE para a prova do ensino médio, aos grupos de estudo que acontecem neste polo desde o ano passado.
Já as mães que irão se preparar para a prova do ensino fundamental terão grupo de estudo no Janz Team.
De acordo com Ellis Chaves, presidente da AMAE, 72 mães se inscreveram para fazer o curso. “A Associação firmou grandes parcerias para ajudar essas mulheres a se empoderar e a alcançar seu objetivo, para que com isso elas possam buscar novas oportunidades de trabalho, o ingresso no ensino superior ou técnico e serem com essa conquista, um exemplo ainda maior para seus filhos.”

Mesmo com todas as dificuldades, Ana Jara, Claudia, Jaqueline e Marlei estão voltando a estudar. Reconhecem que será um desafio conciliar a criação dos filhos com os estudos, mas mesmo assim não desistiram do sonho de dar a eles bons exemplos.