Mãe promove campanha para pagar reabilitação do filho com paralisia cerebral leve

0
2613
O menino Gustavo. Foto: Arquivo Pessoal.


“Eu só quero ver meu filho poder caminhar sozinho”. Esse é o desejo de Sabrina Ferreira, mãe dos gêmeos Gustavo e Guilherme, que está promovendo uma campanha, por meio de uma vakinha virtual, para arrecadar o valor necessário para a reabilitação do filho Gustavo, de 9 anos, após cirurgia para corrigir uma deformidade na perna e assim ter a possibilidade de caminhar sozinho.

A mãe conta que Gustavo nasceu com Paralisia Cerebral Leve e desde o nascimento ela luta para melhorar a qualidade de vida dele. Ele já passou por um procedimento cirúrgico chamado Rizotomia Dorsal Seletiva, que é bastante eficaz para o tratamento de alterações no tônus muscular (contração dos músculos).

Mesmo com a primeira cirurgia, Gustavo tem a perna direita com deformidade e para corrigir é necessário outro procedimento cirúrgico. “O plano de saúde cobre a cirurgia, porém não a reabilitação, que seriam no mínimo seis semanas iniciais de fisioterapias todos os dias, que podem ser em outras cidades. Após essas seis semanas, ele continua realizando os atendimentos e não pode parar”, conta Sabrina.

Sabrina é autônoma, trabalha como uber, é mãe solteira e no momento está sem trabalhar porque necessita acompanhar o filho nas fisioterapias e recuperação. Segundo ela relata, o plano de saúde cobre a cirurgia, mas o tratamento para a reabilitação correta de Gustavo, o plano não paga. “Cada sessão de fisioterapia custa cem reais e o SUS não cobre também”, explica. O menino faz quatro sessões de fisioterapia na semana, mais uma hidroterapia (realizada em Três Coroas) e nos sábados e domingos, a mãe faz exercícios fisioterápicos, recomendados pelos profissionais em casa.

A fisioterapia pode fazer com que Gustavo ande sozinho. Foto: Arquivo Pessoal.

Além da vakinha virtual, que tem a meta de arrecadar R$ 15 mil reais, e até o momento foi doado cerca de R$ 1.600,00, a mãe está vendendo balas de goma para ajudar no sustento da família. Os gêmeos e a mãe moram na localidade do Moreira, em Gramado e contam com a sua ajuda para que Gustavo possa andar e ter uma melhor qualidade de vida. “As pessoas tem me ajudado muito. Alguns doam alimentos, outros fraldas e com a vakinha, muitos tem feito suas doações pelo link, para ajudar na reabilitação do meu filho”, diz ela.

As doações podem ser realizadas através do PIX 019640720-69, pela link da vakinha https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-cirurgia-gustavo?fbclid=IwAR3VZ-PhndvabU4mWwZz-UHXmCAWnrJRlvbXBEEKSEnhRLSxANfr3MFL-_s

Ou, também, você pode falar diretamente com Sabrina Ferreira pelo número (54) 9 9643-8869.

Veja imagens cedidas pela mãe da fisioterapia que Gustavo realiza:

Gustavo realiza sessões de fisioterapia toda a semana. Vídeo: Arquivo Pessoal.