Levantamento prova que Gramado está livre do Aedes aegypti

0
1365
O trabalho das equipes dos departamentos de Vigilância em Saúde e Atenção Básica do município foi realizado durante 10 meses. Foto: Divulgação/Saúde.


O quarto e último ciclo do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelos agentes de Combate a Endemias (ACE) e agentes Comunitários de Saúde (ACS), provou que Gramado continua livre do mosquito transmissor de doenças como a dengue, chikungunya e zika vírus.

Segundo dados do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), em uma série histórica dos anos 2000 a 2018, observou-se um aumento significativo no número de municípios infestados pelo mosquito no estado, totalizando 313.

Gramado está entre os 37% das cidades gaúchas com índice de infestação zero, uma vez que em nenhum dos mais de 1,9 mil imóveis foram encontradas larvas do mosquito. O trabalho das equipes dos departamentos de Vigilância em Saúde e Atenção Básica do município foi realizado durante 10 meses.

Além da análise, os agentes orientaram a população para não deixar depósitos com água acumulada e a revisar o pátio e residência semanalmente, buscando a prevenção das doenças.

Projeto pioneiro

Para garantir melhor monitoramento do Aedes aegypti, a Vigilância em Saúde ainda implantou um projeto-piloto e pioneiro na cidade, que através de um ponto eletrônico coleta dados exatos e precisos das armadilhas, tendo assim a garantia de que o monitoramento foi feito e que nenhum ponto do município ficou desguarnecido de fiscalização. Foram instalados 50 pontos.

Comunidade fazendo a sua parte

A proximidade do verão, com o consequente aumento das temperaturas e chuvas, é o alerta para que haja um reforço das atividades de eliminação dos focos do inseto, que deposita suas larvas em locais com água parada.

“O trabalho dos agentes com as visitas às residências é fundamental para mantermos nosso município livre da presença do mosquito e também de doenças tão graves à saúde pública. Porém, o papel de cada morador na prevenção é de extrema importância, pois cada um fazendo sua parte e mantendo sua residência limpa e sem locais com água parada, garante com segurança a saúde da nossa população”, ressalta o Secretário da Saúde, João Teixeira.

LIRAa foi uma das estratégias adotadas pelo Ministério da Saúde

Por determinação do Ministério da Saúde (MS) em virtude do estado de emergência emitido desde 2016 por microcefalia no país, foram definidas novas ações estratégicas de vigilância, controle e prevenção do mosquito Aedes aegypti em todo o Brasil, assim o levantamento em ciclos programados passou a ser realizado neste ano.

Em municípios não infestados pelo mosquito, como é o caso de Gramado, o Ministério determinou que seriam realizados quatro ciclos de visitas, que consiste na inspeção de 20% dos imóveis selecionados no plano amostral. Já em municípios infestados, além do LIRAa, ocorre a visita em 100% dos imóveis.

Os imóveis são definidos via sistema de informação do MS, que aleatoriamente seleciona os quarteirões dentro dos estratos. Isso significa que um em cada cinco imóveis são visitados dentro da amostra, buscando depósitos que contenham água parada nos domicílios como garrafas, potes, lixo, entulhos, calhas e caixas que possam levar à proliferação de algumas espécies de mosquitos.