Investigação da DP de Canela leva para a prisão o cabeça da facção Os Manos

0
6839
Operação apreendeu R$ 16 mil, revólver e munição


A partir de uma investigação desenvolvida pela DP de Canela, o chefão de uma das facções criminosas do Estado, foi preso na manhã desta sexta-feira, 6 de outubro, em Novo Hamburgo.

Apontado pela Polícia Civil como o primeiro na hierarquia da chefia do grupo criminoso, Os Manos, o vereador Emerson Fernando Lourenço, 44 anos, o Fernandinho do partido Solidariedade, foi detido em sua residência em Novo Hamburgo, no bairro Jardim Mauá.

O político é investigado como sendo um dos líderes da facção, a qual estava articulando-se para tomar a força os pontos de jogos de azar na região, entre eles caça-níqueis e bancas do jogo do bicho.

A suspeita é de que Fernandinho está envolvido diretamente no assassinato de Adalberto Pinto Gomes, 50 anos, conhecido como Piti. A vítima era gerente do jogo do bicho em Canela e Gramado e foi executada com pelo menos 27 disparos de arma de fogo de calibres 9mm e .40. O crime ocorreu na madrugada de 20 de julho, no interior da casa de Gomes, no bairro Sesi, em Canela.

A investigação descobriu que Os Manos pretendiam dominar os locais de contravenção na região. “Em todo o Estado, as facções estão migrando da prática de crimes patrimoniais e tráfico de drogas para os jogos do bicho e maquinários,” comenta Medeiros.

“As facções tentam tomar a força ou cobrar pedágio das bancas do jogo do bicho e caça-níqueis, mas quando não há acerto as facções agem com extrema violência, inclusive matando,” destaca o delegado.

R$ 16 mil encontrados na casa do chefe do tráfico

Na investida que prendeu Fernandinho, foram mobilizados 25 agentes das delegacias de Canela, Três Coroas, Furtos e Roubos de Veículos e de Homicídios de São Leopoldo.

A Polícia Civil canelense obteve junto ao Poder Judiciário do município, a expedição de sete mandatos de busca e apreensão, os quais foram cumpridos em Novo Hamburgo, São Leopoldo e Campo Bom.

Nas buscas, foram apreendidos R$ 16 mil, uma arma de fogo, munições e documentos. A cifra foi encontrada em Novo Hamburgo na casa de um dos líderes do tráfico de entorpecentes. O dinheiro estava fracionado em cédulas e moedas de baixo valor o que para a Polícia Civil é um indício de que o valor é oriundo do comércio de drogas.

Preso por posse ilegal e receptação de arma de fogo

O vereador Fernandinho, principal alvo das investigações até o momento foi detido em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e recepção, uma vez que o revólver calibre 38 que ele tinha era furtado. “Ele mesmo mostrou onde estava a arma,” conta o delegado Medeiros.

A arma estava escondida em um fundo falso em baixo da cama do vereador. Fernandinho também é investigado por envolvimento com o tráfico de drogas e outros homicídios praticados nos Vales dos Sinos e do Paranhana. “Ele (Fernandinho) tem extensa ficha criminal, com a prática de fatos graves. Nós seguiremos com as investigações para elucidar o homicídio praticado em Canela para chegarmos aos executores e mandantes do crime,” afirma Medeiros. O vereador Fernandinho é suspeito de envolvimento com homicídios ocorridos em Três Coroas. O executor da quadrilha, um homem de 34 anos, também foi preso na manhã desta sexta-feira. Ele foi localizado em uma casa no bairro Scharlau.

Quem é o vereador Fernandinho?

Vereador Fernandinho é apontado como chefe da facção Os Manos

Fernandinho é vereador de primeiro mandato e foi eleito com 2.232 votos em uma aliança proporcional entre o Solidariedade e o Partido Progressista (PP).

O parlamentar é ligado a área esportiva. É dirigente do Atlético Clube Veterano, do bairro Canudos e também atua como empresário de jogadores profissionais de futebol.

Na Câmara de Novo Hamburgo, Fernandinho fazia parte de duas comissões a de Direitos Humanos, Cidadania e Defesa do Consumidor e também da de Obras, Serviços Públicos e Mobilidade urbana. Fernandinho foi encaminhado ao sistema prisional. Ele já cumpriu pena por mais de dez anos pela prática de outros crimes. Fernandinho não tem ensino superior, por isso, não terá direito a cela especial.