Intelimagem apresenta estudo sobre diagnóstico da Covid-19 em Gramado

0
825

A Intelimagem Medicina Diagnóstica divulgou um estudo sobre os exames de tomografia de tórax no diagnóstico da Covid-19, realizados na unidade da empresa junto ao Hospital São Miguel em Gramado (RS). Conforme o levantamento, feito entre 27 de junho e 27 de julho de 2020, do total de exames realizados com essa finalidade diagnóstica, 38% de todos os laudos de tomografia de tórax apresentaram probabilidade existente e alta para a Covid-19. “Quando somados os laudos de suspeita baixa, porém existente, esse percentual sobe para 62% dos pacientes que realizaram exames tomografia de tórax na Intelimagem. Para 38% dos laudos, a probabilidade foi de outras doenças não relacionadas ao SARS-CoV-2, sendo que estas podem ser, ou não, relacionadas a outras patologias do sistema respiratório”, revela o Dr Lúcio Luzzatto, médico radiologista da Intelimagem.

Segundo ele, o estudo estatístico possui informações relevantes para a comunidade e profissionais de saúde e hospitais, contendo a estratificação das faixas etárias por sexo e a classificação dos achados na tomografia. Os dados indicam, por exemplo, maior propensão dos homens ao novo coronavírus do que as mulheres, já que os laudos entre os pacientes do sexo masculino apresentaram maior probabilidade para a doença. “Os homens realizaram menos exames em relação às mulheres, mas os resultados para suspeita de Covid-19 entre eles foram muito maiores do que no sexo oposto. Os homens tiveram praticamente metade dos exames (47%) com probabilidade alta/existente, em relação a 31% entre as mulheres. Grande parte dos exames do sexo feminino (40%) apresentaram laudos de doença não Covid-19, enquanto que para os pacientes do sexo masculino foi de 36%”, observa. Luzzatto acrescenta que os laudos classificados como alta/existente probabilidade para Covid-19 foram de 33% sobre o total  de exames realizados para a população idosa. Já para os idosos com 80 anos ou mais, 42% de laudos tiveram essa classificação.

Desde o início da pandemia no Brasil, a Intelimagem observou um aumento na quantidade de tomografias de tórax realizadas em suas unidades. “Em 2019 foram realizados 63 exames de tomografia computadorizada de tórax, entre 27 de junho e 27 de julho. No mesmo período de 2020 foram 475 exames, representando uma variação de 650% em relação ao ano anterior. Do total de exames, 57% foram do sexo feminino, e isso pode se justificar pelo fato de que as mulheres são maioria na população. Por outro lado, os homens são mais acometidos pela doença. Esse aumento expressivo na quantidade de exames de tomografia computadorizada de tórax está diretamente relacionado à pandemia causada pelo novo coronavírus, já que o exame de imagem é um dos principais métodos utilizados no diagnóstico da Covid-19”, completa.