Grupo de apoio oferece suporte para pais que desejam gerar os filhos através da adoção

0
4775
A coordenadora do Grupo Tatiane Cavallin com suas filhas geradas através da adoção. Foto: Arquivo Pessoal.


Gerar um filho por meio da adoção é um ato de coragem, amor e responsabilidade. É o desejo que faz com que casais coloquem de lado seus medos, preconceitos e formem uma família com um novo ser, concebido no coração e na alma. Para que esse filho nasça nesta família, é necessário a adaptação e paciência para aguardar as decisões jurídicas que promovem este encontro que é para a vida toda.

Há aproximadamente quatro anos, após gerar as filhas através da adoção, a canelense Tatiane Cavallin conta que ainda sentia a necessidade de ter com quem trocar experiências e tirar dúvidas a respeito. “Isso era algo que me fazia muita falta e, em uma conversa no CREAS durante o acompanhamento com a rede, a psicóloga que nos atendia, Sílvia Schein, me incentivou a criar o grupo na cidade”.

Ela lembra que na época, a Juíza Dr.ª Simone Chalela estava iniciando seu trabalho na comarca de Canela. “Me encorajei e fui conversar com a juíza, sem nunca antes ter falado com ela, a reação dela foi a melhor impossível, não só permitiu como deu todo suporte necessário para que isso acontecesse, a Vara mesmo contatou os pretendentes da fila e convidou-os para o primeiro encontro”.

Atualmente o Grupo conta com 20 casais e as reuniões acontecem mensalmente. Foto: Arquivo Pessoal.

Assim começou o “Grupo de Apoio à Adoção Construindo o Amor” e desde de 2016 profissionais e pais que buscam gerar filhos através da adoção se reúnem com o objetivo de trocar experiências, dúvidas e também acalmar os casais que aguardam pelo filho.

Daniela Zago e o marido estão na fila de espera há cerca de um ano. O casal expõe que logo na primeira vez que participaram da reunião do Grupo foram acolhidos e se sentiram muito a vontade. Conforme eles, a participação está sendo muito importante para sanar as dúvidas e trazer confiança para enfrentar a etapa de espera. “Os encontros são leves, divertidos, saímos de lá fortalecidos. Há trocas de experiências de famílias que já receberam seus filhos e também de casais que ainda estão aguardando como nós. É muito importante ter esse apoio de quem já passou ou está passando por esse processo na prática, pois só quem vive isso consegue entender a agonia da espera da chegada desse filho tão desejado”, revela Daniela.

Área de atuação do Grupo

A coordenadora do Grupo Tatiane Cavallin relata que ao iniciar, o projeto era habilitado somente em Canela. Com o tempo, devido a procura dos gramadenses, o Grupo foi aberto para a comunidade em geral. “Fui até o Fórum de Gramado e apresentei o projeto do grupo, hoje a Comarca de Gramado na pessoa da Dr.ª Aline Ecker Rissato informa seus pretendentes sobre os encontros que ocorrem em Canela”, explica ela.

Os encontros sempre contam com a parceria de psicólogas, enfermeiras, médicas, assistentes sociais e membros do Conselho Tutelar que possam contribuir com o mundo adotivo.

A coordenadora destaca a procura de pessoas de outros estados pelo Grupo, através da página do facebook, para ter esclarecimento de como fazer a entrega consciente de bebê. Tatiane acredita que isso se deve ao medo das pessoas em se expor na cidade onde moram, e assim buscam o auxílio do projeto “Grupo de Apoio à Adoção Construindo o Amor”. “Devido as ações de conscientização, em 2019 tivemos a primeira entrega totalmente voluntária em Canela, a mãe biológica me procurou e foi amparada desde a decisão até o parto. Tudo totalmente dentro da lei, tendo feito todo o pré-natal, acompanhamento com a rede municipal e atendimento psicológico, para fazer a entrega com total clareza”.

Processo de adoção e pandemia

Tatiane coloca que com a pandemia ocasionada pelo Covid-19 a realidade do Grupo mudou. “Esse mês nosso encontro foi através de uma live com a psicóloga convidada Luciane Morini Cassenote, ela super gentil topou esse novo desafio com a gente”, menciona ela.

A psicóloga Luciane Morini ressalta a importância do Grupo neste momento em função da ansiedade dos pais gerada pela espera do filho. “O termo “auto-mútuo-ajuda”, utilizado pela saúde pública, ganhou uma expressão muito grande principalmente no movimento italiano e se adequada perfeitamente nessa situação. Esse conceito fala a respeito de pessoas que já viveram uma situação parecida e conseguem apoiar àquelas pessoas que ainda estão para vivenciar. É um movimento que se consolidou no grupo e com certeza faz toda a diferença”.

De acordo com a idealizadora do Grupo, desde que começou o período de isolamento, as comarcas estavam impedidas de movimentar processos, o que gerou uma certa ansiedade nos pais do projeto. No total, foram 60 dias de espera para que os processos voltassem a ser movimentados. Desde a última semana, o trabalho no Fórum está retornando a normalidade. “O Fórum de Canela permanece fechado, mas podendo trabalhar home-office e principalmente movimentar processos, o que nos trouxe novas esperanças, pois para nós movimentar processos significa resolver a situação de nossos filhos”, coloca ela.

Entusiasmada Tatiane Cavallin conta que nesta sexta-feira, dia 29 de maio, a fila de espera para adoção obteve andamento e um casal foi chamado para receber a filha adotiva. “O Grupo comemora a união de uma nova família”, fala animada.

Atualmente o “Grupo de Apoio à Adoção Construindo o Amor” conta com 20 casais. Para a coordenadora, que no período de espera pelas filhas não tinha onde buscar informações e chegou a ir em grupos de adoção em Porto Alegre, saber que Canela e Gramado hoje reconhecem que filhos também são gerados na alma, traz a certeza de dever cumprido. “Dia 25 de maio foi o Dia Nacional da Adoção, não imagina que dia mais lindo foi pra mim ir recebendo fotinhos de todos os filhos chegados no Grupo de Adoção ao longo desse tempo, me sinto parte de cada família que se forma, sofro e vibro por eles”, participa Tatiane com alegria.

Ação Solidária

Em fevereiro deste ano o Grupo começou o projeto do Troco Solidário, onde disponibiliza cofrinhos em estabelecimentos comerciais nas cidades de Canela e Gramado. Toda verba arrecadada é destinada para pagamento do acompanhamento particular psicopedagogo e psicológico de crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade.

As caixinhas estão distribuídas em Gramado e Canela. Foto: Redes Sociais.

Locais que já aderiram à campanha:
* Silvana Centro Estético
* Loja Gato & Sapato
* Estética oficina do Corpo
* Débora Corrêa Fisioterapia
* Mercado Mega Econômico
* Farmácia Quantta 27
* Restaurante Sabor de Gramado
* Mila Kids
* Arte e Magia Canela e Gramado
* Cavallin Contabilidade
* Academia Boeira