Futebol e a copa do mundo

0
1487


Em clima de copa, não poderia deixar de abordar este tema, mesmo não sendo especialista no assunto, mas é possível extrair alguns aprendizados deste momento, pois a vida cotidiana é dinâmica e permeada de agentes estressores, que não permite o estado de relaxamento.

O assunto futebol, faz lembrar um professor, no início do curso de Psicologia, em que ele não conseguia compreender o porquê de tanto fanatismo entre gremistas ou colorados, em relação aos seus times de futebol. Dizia o professor, algo como: não há nada de científico que justifica esse tipo de comportamento.

Se um professor não consegue compreender este fanatismo, imagine na cabeça de um aluno no início do curso. Dada esta constatação, este assunto ficou na mente do aluno como a “pergunta que não quer calar”. Também faz lembrar de um provérbio popular, que diz: futebol, religião e política não se discutem.

O que há em comum nestes três assuntos?

Crenças e idolatrias.

Crenças são as verdades que cada pessoa tem, que explica a sua existência e seus relacionamentos. Já as idolatrias são modelos de mitos ou de pessoas, que o ser necessita para segui-los ou estabelecer um ideal de vida.

Num jogo de futebol é possível observar vários modelos de atitudes e funções de cada jogador, o que retrata um pouco da dinâmica de viver, gostando ou não, assemelha-se a uma disputa diária, porém com muito vigor, que inconscientemente é o ideal de muita gente, tipo: papéis e missão muito bem definido. Quem não gostaria de trabalhar assim?

Importante lembrar que o auge de destreza e vigor de atletas ou jogador é aos 32 anos, a partir daí inicia um lento declínio até 37 anos, em função disto, que jogadores acima de 38 anos, são considerados velhos.

No dia a dia, para algumas pessoas, trabalhar é desmotivador, além das oito horas diárias, nem todos têm a real noção do que gostariam de ser.

Aproveite esta copa e assista o maior número de jogos, para fazer um paralelo com sua vida. Procure definir aquilo que lhe é gratificante e motivador.

Aceite mudanças em tua vida e busque equilibrar o útil (recurso financeiro) ao agradável (aquilo de lhe dê satisfação).