Festa Colonial é destaque no Centro de Canela

0
1696
Festa Colonial oferece diversidade na culinária, shows e produtos fabricados pela população rural de Canela. (Fotos: Rita Souza)


Iniciou na sexta-feira, 13 de julho, um evento que resgata as origens e a cultura trazida pelos colonizadores de Canela, sobretudo alemães, italianos e portugueses. É a Festa Colonial que revive, no Centro da cidade, a memória dos que por aqui passaram e fizeram história.

No espaço Canela Rural, localizada ao lado do Centro de Feiras, uma estrutura e decoração típica, recebe tendas, onde pessoas simples e de alma pura, nos mostram os valores e hábitos de quem vive na colônia. É artesanato, plantas ornamentais, geleias, compotas, embutidos, queijos, licores, cachaças, vinhos que são receitas passadas de geração em geração.

Em pequenos detalhes, os colonos e o próprio ambiente nos remetem a uma viagem no tempo. Dois restaurantes e um café colonial, também estão a disposição de turistas e comunidade local que podem apreciar a boa gastronomia.Poderão ainda ser apreciados por todos os visitantes, os fornos recheados de cucas, pães, carnes e outras delicias da nossa culinária.

A Festa Colonial que segue até 29 de julho, tem um importante papel de evidenciar o potencial gastronômico, cultural e histórico das raízes da colonização do município que foram muito importantes para a região e que fizeram a história de Canela ser ainda mais rica e expressiva no contexto do turismo nacional.

No palco artístico apresentações de grupos de danças, shows e bandinhas típicas trazem muita alegria aos que visitam o evento.

A Festa Colonial é uma promoção da Prefeitura, através das Secretarias da Fazenda e Desenvolvimento Econômico, Obras, Serviços Urbanos e Agricultura e Turismo e Cultura; Emater; Sindicato dos Trabalhadores Rurais e apoio da Associação de Micro e Pequenas Empresas de Canela – AMPEC e Vinícola Granja da Telha.

O tradicional bolinho de batata é destaque
Para a família Abreu, da Linha São Paulo, responsável pela tenda do famoso bolinho de batata, a Festa Colonial é um evento onde se trabalha e também se divertem. “Fazemos isso com prazer e, enquanto tivermos saúde, estaremos aqui a cada ano de festa”, conta Laídes de Abreu, a matriarca da família. Ela participa a quinze anos da festa e nesta edição conta com a colaboração dos filhos Vanderlei e Marcos, da nora Ana, do neto Mateus e da colaboradora Olita.

A renda adquirida durante a participação no evento é revertida em investimentos na propriedade, um plus na renda de cada integrante que trabalha e também uma poupança. “A Festa Colonial para nós é como o 13º salário do colono, a safra de inverno da família”, falam os irmãos Abreu.Neste ano, a família acredita utilizar em torno de 1250 quilos de batata, ingrediente principal no bolinho que pode ser degustado no local ou levado para casa.

Família Abreu é a responsável pela produção e comercialização do bolinho de batata na Festa Colonial de Canela.

Abertura oficial reuniu autoridades
No final da tarde de sábado, 14 de julho, aconteceu à abertura oficial do evento, que reuniu autoridades e contou com a participação do tenor Evandro Martins que cantou os hinos do Brasil, de Canela e Riograndense.

A rainha Tainara de Oliveira, 1ª princesa, Júlia da Silva Dias e 2ª princesa, Viviane de Oliveira agradeceram a oportunidade de estar representando o interior e convidaram a todos para prestigiarem a degustarem os produtos oferecidos no evento.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Canela, André Faes, disse que

“Agricultura: quem não vive dela, depende dela para viver, se referindo que o trabalho do homem do campo é fundamental para a nossa existência e para o desenvolvimento do município, por isso precisamos respeitá-lo e os incentivá-los”.

O representante da Emater/Ascar, Mário Antônio da Costa da Silveira destacou que o evento é festa dos agricultores e dos produtores . “É com muita honra e orgulho que a Emater está há muito anos ajudando na qualificação dos produtores e das famílias, principalmente na agroindústria que é muito forte aqui em Canela, e que gera renda a elas”.

Marcos Gonçalves da Associação de Micro e Pequenas Empresas de Canela – AMPEC agradeceu o empenho de todos para a liberação do Centro de Feiras, convidou turistas e comunidade a prestigiarem a feira que acontece a cinco anos no Centro de Feiras e que proporciona emprego e renda, não só aos empresários, mas também a alguns produtores que se unirão a associação.

O secretário de Turismo e Cultura, Ângelo Sanches evidenciou o empenho do Secretário Luciano Melo para a realização tanto da festa como da feira. “Que no próximo ano unimos esforços e fizemos um evento ainda maior, para agradar ainda mais os canelenses e turistas, fomentando a nossa economia e mostrar que Canela tem origens e tem identidade que precisam ser respeitadas”.

Luciano Melo, Secretário da Fazenda e Desenvolvimento Econômico ponderou que no ano passado se fez uma grande festa colonial, melhorando e ampliando o espaço. “Neste ano eu não tenho dúvida que será melhor ainda, porque a festa só é feita com a união de todos, do sindicato, da emater, e também da Ampec”. Luciano também falou da programação cultural que valoriza os talentos locais e que neste ano inova com o Festival de Intérpretes que contará com representantes de cinco cidades.

O prefeito Constantino Orsolin ponderou que “Eu venho do interior e sei muito bem como é trabalhar neste meio. O colono é aguerrido, é forte e temos que homenagear aqueles que nos fornecem o alimento”, destacou. Ao final, o chefe do executivo, deu as boas vindas a todos e pediu que visitantes e canelenses aproveitem ao máximo a festa.
O deputado estadual Edson Brum, representando a Assembleia Legislativa também esteve visitando a Festa Colonial e Feira de Inverno.

No sábado, 14 de julho, autoridades municipais e lideranças estaduais participaram da abertura oficial do evento.

Feira de Inverno
O público da Festa Colonial conta com mais uma atração. Ao lado do Espaço Canela Rural, no Centro de Feiras, acontece a Feira de Inverno, promovida pela AMPEC. O público pode conferir os produtos do setor moveleiro, artesanato e decoração, roupas e acessórios, chocolates caseiros e stands de diversos outros setores, como biscoitos e livros. A Feira de Inverno segue até 5 de agosto, das 11h às 21h, no Centro de Feiras.

PROGRAMAÇÃO FESTA COLONIAL

Segunda 16/07
18h – Tiago e Grupo

Terça 17/07
18h – Os Camponeses

Quarta 18/07
20h – CTG Querência – Invernada Artística
18h30 – Cássio Amaral e Grupo Sempre Campeiro
15h – Peça Teatral – Cia Goliardos
14h – DTG Amigos Estancieiros

Quinta 19/07
20h – Amaranto e Seu Conjunto
18h30 – Bruno Rauber e Emílio Fogaça
17h – Kiko Corrêa
14h – Grupo Pequenos Fandangueiros

Sexta 20/07
14h – Ilhapa Gaúcha – Baile Terceira Idade
17h – Marcelo J. Frank
18h – Amantino e Grupo Badalação
20h – The Vaneira

Sábado 21/07
13h – Banda Deutsch Company
14h30 – CTG Querência
16h30 – Bruno Rauber e Emílio Fogaça
18h – Grupo Pontezuela
20h – Jeito Serrano

Domingo 22/07
14h – Zé Nunes e acompanhantes
15h – Grupo Pampa e Vanera
17h – Cássio Amaral e Grupo Sempre Campeiro
19h – The Vaneira

Segunda 23/07
18h – Os Camponeses

Terça 24/07
14h – Pequenos Fandangueiros
18h – Tiago e Grupo
19h – 1º Festival de Intérpretes – Elininatórias

Quarta 25/07
20h – Amantino e Grupo Badalação
18h – Bruno Rauber e Emílio Fogaça
17h – Pedro e Seu Conjunto
15h30 – DTG Amigos Estancieiros
14h – Peça Teatral – Cia Goliardos

Quinta 26/07
15h – DTG Laço de Amizade
17h – Marcelo J. Frank
18h30 – Cássio Amaral Grupo Sempre Campeiro
20h – Kiko Corrêa

Sexta 27/07
13h30 – Peça Teatral – Cia Goliardos
14h30 – Ilhapa Gaúcha
17h – Os Camponeses
18h – Zé Nunes e acompanhantes
19h – 1º Festival de Intérpretes – Final
20h – ACR3

Sábado 28/07
13h – Grupo Pampa e Vanera
15h – Amaranto e seu conjunto
17h – Grupo Pontezuela
19h – Banda Deutsch Company
18h – Jeito Serrano
20h – Cássio Amaral Grupo Sempre Campeiro

Domingo 29/07
14h – Kiko Corrêa
16h – Amantino e Grupo Badalação
18h – The Vaneira
20h30 – ACR3