Feira do produtor ocorrerá todos os sábados na Várzea Grande

0
6522
A ideia é propiciar o produto diretamente do produtor de Gramado. Foto: Renata Garcia.


A comunidade da Várzea Grande e arredores poderá garantir alimentos frescos e de qualidade na mesa das suas casas. Neste sábado (2), iniciará mais uma Feira do Produtor de Gramado, com verduras, hortaliças, frutas, laticínios, embutidos e pães fabricados pelos agricultores do município. Além dos tradicionais espaços da Praça das Etnias e da Cooperativa Planalto, que já possuem feiras, a nova feira da Várzea Grande ocorrerá das 7h30min às 10h30min, no Terminal Turístico Rodoviário, na ERS 115.

A Feira do Produtor ocorrerá todos os sábados na Várzea. Além de valorizar o protagonismo e o trabalho dos agricultores Gramadenses, ela visa evitar a perda de alimentos da produção familiar, transformando-se numa oportunidade permanente de oferta ao consumidor final e de negócios para abastecer a gastronomia local. A iniciativa foi firmada entre a Secretaria da Agricultura, EMATER, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, agricultores, Fiscalização da Fazenda, Vigilância Sanitária e Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal, em reunião na última quarta-feira (30), no Centro de Cultura da Várzea Grande.

Todos os produtos comercializados são legalizados. Os artigos das agroindústrias são originários de empreendimentos participantes do Programa Gramado Colônia, que auxilia na sua legalização. O Programa, implantado em dezembro de 2017, tem o objetivo de ampliar o auxílio à agricultura familiar e ao desenvolvimento da produção rural pela agregação de valor às matérias-primas. Ao aderirem ao Gramado Colônia, os produtores recebem incentivo para a formalização dos empreendimentos e apoio para divulgação e comercialização dos produtos.

A ideia de criar uma feira na Várzea Grande é estudada há meses pela Prefeitura, e integra o projeto de revitalização do Terminal Turístico do bairro, planejado pelas Secretarias de Governança e da Cultura. Com a paralisação nacional e o desabastecimento de combustível, a proposta foi antecipada para fomentar a economia local.

Esse projeto vem sendo pensado há mais de um ano e, tendo em vista o momento em que vivemos, é chegada a hora de oferecer essa oportunidade à comunidade e aos agricultores. Estamos acreditando muito nessa ideia. Dessa forma, incentivamos cada vez mais o desenvolvimento da agricultura familiar, da nossa gente”, ressalta o secretário da Agricultura, Alexandre Meneguzzo.

 Entidades buscam integração com agricultores locais

O ramo hoteleiro e gastronômico também viu na Feira do Produtor de Gramado a oportunidade de estudar um projeto com os agricultores e órgãos competentes. Membros de entidades como Visão, Sindtur e Abrasel estiveram presentes na reunião de quarta-feira (30) e demonstraram interesse em realizar um levantamento com os associados para oportunizar a distribuição de alimentos nos restaurantes, bares, pousadas e hotéis pela agricultura local, dentro das possibilidades dos produtores.

A ideia é propiciar o produto diretamente do produtor de Gramado, diminuindo o “passeio” de alimentos que acabam sendo adquiridos de cidades vizinhas e da Central de Abastecimento do Rio Grande do Sul, a CEASA.

O Prefeito João Alfredo Bertolucci, o Fedoca, destacou a importância de despertar ideias que fomentem a economia e que mostrem a força e superação dos Gramadenses. “O momento pede soluções para minimizar os aspectos que estamos vivendo com a paralisação e o desabastecimento. Com o comprometimento de todas as partes, com a parceria entre agricultores, comunidade e entidades, Gramado tem muito a ganhar”, comenta.

 Famílias de agricultores aprovam a Feira

Os Wingert, da Serra Grande Alemã, será uma das famílias que irá comercializar seus produtos na Feira do Produtor, no próximo sábado (2). Alfaces, repolhos, brócolis, batatas e temperos são algumas das especialidades de pais e filhos, cuja lida na terra é uma fonte de renda e também uma tradição passada de geração a geração.

Giane Wingert, 48, ressalta a importância da Feira. “É uma boa oportunidade para nós, agricultores, pois valoriza o nosso produto e o consumidor ganha um alimento de qualidade. Todos saem ganhando”, acredita.