Expositores relatam como os pequenos negócios mudaram suas vidas

0
1358
Mauro participa da feira desde sua primeira edição. Foto: Carlos Borges.


A Feira Feito em Gramado traz várias experiências para o público. Além de proporcionar a imersão no processo de produção das peças expostas, feitas na hora pelos artesãos, os visitantes podem se deparar com grandes histórias de gramadenses que mudaram as suas vidas para realizarem seus sonhos.

Uma dessas histórias é a do proprietário dos Biscoitos Lua de Mel, Mauro Bohrer, que largou o emprego de bancário para se dedicar única e exclusivamente à produção de biscoitos. Com 20 anos de empresa, Mauro traz para a Feito em Gramado biscoitos artesanais, delicatessen, doces e salgados e também alfajores e bombons.

Ao falar da trajetória da empresa, Mauro lembra que tudo começou quando foi presenteado com alguns biscoitos delicatessen e resolveu transformar isso em seu próprio negócio. “Antes eu era bancário e durante seis anos trabalhei nas duas atividades.Depois larguei o banco e segui com os biscoitos. Com certeza foi uma boa troca, difícil no começo, mas depois valeu a pena”, conta.

Atualmente, a venda dos biscoitos ocorre para lojas de Porto Alegre, Caxias do Sul, Bento Gonçalves, São Leopoldo. Em Gramado, a comercialização se dá em hotéis, restaurantes, padarias e pelo site da empresa.

O proprietário ressalta a importância da Feito em Gramado, evento que aguarda o ano todo para aumentar a divulgação e as venda. “A feira sempre foi muito boa pra mim, principalmente para que os moradores da cidade conheçam o meu produto, já que para o público a venda ocorre pelo site no resto do ano”, explica.
Feito em Gramado – Em 2018, a Feito em Gramado contabiliza números que confirmam a sua importância para micro e pequenos empresários e artesãos do município, com o aumento de 80% no número de expositores (são 94 na edição deste ano contra 52 na edição de 2017). Consequentemente, cresceu também o espaço do evento: dos 646 m² da edição do ano anterior, a Feito em Gramado chega em 2018 com 1.500 m², um aumento de 134%.Artesanatos, confecções e artigos de couro, malhas, chocolates, biscoitos, artes plásticas, artigos de decoração e como, novidade neste ano, móveis com preços especiais, podem ser encontrados durante a Feira Feito em Gramado, que ocorre no Expogramado, paralelamente à Festa da Colônia.

Prazer na produção de licores

Com produção totalmente caseira e manual, Luiz Fernando de Oliveira traz para a Feira Feito em Gramado a Ranalutti e Fogg Licores. São oito as variedades exibidas: hidromel, licor de chocolate (o velho fogg 1930 e outro mais amargo), licor de ameixa, cachaça envelhecida, licores de banana de araçá e de gengibre, este último um dos mais elogiados, segundo o produtor.

Antes de trabalhar com licores, Luiz foi proprietário das Lareiras Ranalutti por 40 anos, mas vendeu a empresa e se entregou ao novo negócio: “Como diz o ditado, cavalo encilhado só passa uma vez. Então eu aproveitei e vendi a fábrica quando tive a oportunidade. E quer saber? Melhor coisa que eu fiz! Eu adoro criar”, afirma.

A produção de licores segue um processo rigoroso e extenso. Alguns ficam prontos em 12 horas, como o de chocolate. Outros, como os de frutas, levam em torno de 60 dias. O processo de envelhecimento da cachaça leva no mínimo um ano.

Serviço
O quê: 7ª Feira Feito em Gramado
Quando: De 19 de abril a 6 de maio
Onde: Expogramado
Horários: Quartas e quintas-feiras, das 13h às 21h
Sextas, sábados, domingos e feriados, das 10h às 21h
Entrada franca.