Execuções em Dois Irmãos pode ter ligação com o tráfico

0
2187
Corpo de Campos ficou caído na entrada do bairro Bela Vista. Foto: Melissa Costa/ O Diário


A Polícia Civil de Dois irmãos trabalha em busca de informações que auxiliem no esclarecimento da execução a tiros de Anderson Magnos da Silva Campos, 23 anos e Jaques Douglas Ribeiro de Jesus, 35 anos, conhecido como Profissional. Os dois foram mortos na tarde desta segunda-feira, 14 de agosto, em uma rua lateral a BR-116, no trevo de acesso a Dois Irmãos.

Campos morou por muito tempo em Canela, mas na última semana conforme a Polícia de Dois Irmãos, tinha fixado residência em Sapucaia do Sul. Ele não tem ficha criminal.

O Profissional tem histórico policial por homicídio, roubo e tráfico de entorpecentes. Ele pertencia a facção Os Manos. De acordo com a Polícia Civil de Dois irmãos, Profissional morava em Três Coroas. O criminoso era suspeito de ter matado a tiros Willian Gross de Oliveira, 16 anos, em uma escadaria do bairro São Lucas, em Canela. O assassinato do adolescente foi praticado no 1º de outubro do ano passado.

Tiros de 9mm a queima roupa

Campos foi alvejado por oito disparos. Os tiros foram efetuados a queima roupa contra o peito e as pernas do rapaz. Profissional tentou escapar fugindo a pé, mas foi atingido duas vezes pelas costas, na coluna e na nádega e tombou a 30 metros do corpo de Campos. Foram recolhidas 17 projéteis de calibre 9mm no entorno do corpo de Campos.

Tráfico de drogas pode ter motivado as mortes

Investigações preliminares indicam que uma desavença por causa do comércio de drogas pode ter motivado as execuções. A Polícia trabalha com a hipótese de que dois homens abriram fogo contra as duas vítimas.

Os matadores fugiram em carro ainda não identificado, mas testemunhas relataram à Polícia que as características do veículo é cor clara (branca ou prata) e modelo hatch. Anderson estava acompanhado da sua companheira quando a execução aconteceu.

Tratativas para marcar encontro

Campos e Profissional chegaram a Dois Irmãos de ônibus. A Polícia Civil também busca  descobrir  o que as duas vítimas foram fazer na cidade e porque marcaram encontro naquele ponto da BR-116. A Polícia Civil revelou que Campos e Profissional vinham conversando com outras pessoas ainda não identificadas para marcar um encontro, mas para tratar do quê ainda é uma incógnita.

Jaques Douglas Ribeiro de Jesus é uma das vítimas.

Anderson Magnus é uma das vítimas.