“Ensina-me a ser chefe” reúne estudantes da rede de ensino de Gramado

0
1205
Equipe e participantes do 6º Ensina-me a Ser Chef . Foto Cleiton Thiele/SerraPress


Levando novamente a arte de cozinhar para as escolas públicas de Gramado, o restaurante Nonno Mio realizou, nesta quarta-feira (04), a final da sexta edição do Ensina-me a Ser Chef, projeto que vem apresentando o mundo da gastronomia para as novas gerações da comunidade local. Os times, cada um representando as oito escolas participantes, prepararam suas receitas durante o cronometrado limite de uma hora, onde os pratos traziam criações que levavam obrigatoriamente itens da merenda escolar, despertando a curiosidade e a criatividade para tornar a refeição diária em um prato de restaurante, digno de chef.

Ao longo das seis edições do Ensina-me a Ser Chef, Pedro Andreis, um dos idealizadores do projeto e jurado da edição deste ano, percebe a adesão crescente das escolas, mas também já espera resultados que vão muito além do ambiente escolar: “Acredito que, daqui dois ou três anos, já veremos as conquistas do projeto dentro das próprias cozinhas, com alunos ingressando no mercado gastronômico. Aqui os jovens descobrem talentos e vocações, e o fato da região ser turística incentiva a ideia de que existe a realidade de realmente trabalhar na área”.

E os restaurantes da região já podem mesmo se preparar para receber pequenos grandes cozinheiros. Afinal, o nível e a variedade dos pratos impressionaram o qualificado grupo de jurados formado por Arika Messa, Leonardo Schreiner, Patrícia Roggerone e Pedro Andreis. A decisão foi tão acirrada que a diferença entre as colocações do primeiro e do último prato foi menos de um ponto. Sem revelar a colocação das escolas, o Ensina-me a Ser Chef apresentou os três pratos que se destacaram no paladar dos jurados:

EMEF Maximiliano Hahn
Raviolli de gema com espuma de beterraba

EMEF Padre Scholl
Risoto de legumes com crispie de alho-poró, acompanhado de filé e molho de nêspera

Presidente Vargas
Tortelone tricolor recheado

Palavra dos jurados

Presença internacional entre os jurados, a chef argentina Patricia Roggerone diz que o nível de todos os pratos em competição supera as expectativas para crianças tão novas. “É bom ver que, com esse projeto, elas já começam a acumular experiência na cozinha, o que se reflete nos pratos, onde se percebe a preocupação com o ponto da carne, o sabor, as combinações de texturas e a criatividade na hora de fazer o empratamento”, avalia.  Do ponto de vista da emoção, a chef Arika Messa diz que a experiência é recompensadora: “A palavra para definir essa experiência é emocionante. Fiquei encantada com cada um deles e com a ideia de ver um futuro sendo construído aqui, já que estamos falando de uma profissão muito árdua. Eles estão de parabéns”. Por fim, para o jurado Leonardo Schreiner, a avaliação dos pratos foi desafiadora. “É difícil pelo nível dos pratos e pela idade das crianças. Vimos muita invenção nas receitas, o que não parecia fazer parte de um repertório de crianças dessa idade. Foi difícil escolher, até porque estamos falando de um projeto que busca o incentivo de uma geração”, comenta.

Trabalho para a comunidade

A Secretária de Educação de Gramado, Gilça dos Santos Silva, elogiou a iniciativa do Nonno Mio de desenvolver, por iniciativa própria, um trabalho dedicado à comunidade e aos alunos da rede pública. “É importante ressaltar que são pessoas da comunidade que querem fazer algo pelos gramadenses, pelos alunos, pela educação. Temos a certeza de que contaremos com ainda mais participantes nos próximos anos”, projeta Gilça. Em 2017, 40 alunos foram à cozinha para participar do Ensina-me a Ser Chef, mas as panelas vão ficar guardadas por pouquíssimo tempo: no próximo sábado (10), as três escolas destacadas pelos jurados nesta edição apresentam seus pratos na Cozinha Experimental do Festival de Cultura e Gastronomia de Gramado, montada na Rua Coberta, com entrada franca.