Empresário levava vida de glamour em Gramado com dinheiro de golpes

0
7124
Marcelo reginaldo foi presos juntamente com dois homens que são considerados seus comparsas, Alexsandro Arruda Ferreira e Jardel Francisco da Silva. (Foto: Polícia Civil)


Uma vida de luxo regada a frequentes viagens ao exterior e compra de carros de luxo. Essa foi a conclusão da Polícia Civil sobre o cotidiano de Marcelo Reginaldo, 50 anos, empresário do ramo de transportes, que vindo do Vale do Paranhana fixou residência em Gramado.

No entanto, a investigação policial indica que todo o glamour ostentado por ele e sua família era mantido com dinheiro obtido com a prática de crimes como estelionato e lavagem de dinheiro. Reginaldo, foi um dos três presos pela operação Narciso desencadeada pela 1ª DP de Novo Hamburgo para combater crimes financeiros.

O empresário recebeu voz de prisão na manhã terça-feira, 28 de agosto, na sua residência em um condomínio de alto padrão em Gramado. Durante buscas na casa, policiais encontraram R$ 39,9 mil em dinheiro e um revólver calibre 38. O imóvel é avaliado em R$ 2,5 milhões, mas Reginaldo também possui uma casa no valor de R$ 3 milhões no litoral catarinense. Informalmente ele disse aos agentes que já teria sido preso na Espanha e deportado ao Brasil por evasão de divisas.

O então empresário frequentava a alta sociedade em Gramado e era figura assídua de eventos políticos partidários. Para a Polícia, Reginaldo falsificava documentos em transações de imóveis e recebia carros de alto valor como pagamento e por isso, tinha que ocultar o seu patrimônio construído de forma ilegal.

A investigação apontou que o padrão de vida levado por Reginaldo é incompatível com o patrimônio oficial que ele possui. Reginaldo nega todas as acusações. Ele é dono de uma frota de ônibus de transporte coletivo em Igrejinha.

Confira imagens da prisão de Marcelo Reginaldo: