Empoderamento e Empreendedorismo Feminino

1
1791


Na noite da última quinta-feira dia 08 de março, na Biblioteca Municipal de Gramado, tive a oportunidade de ministrar uma palestra totalmente interativa enaltecendo estes dois temas que tanto amo.

 

Para falar de empoderamento e empreendedorismo é preciso antes falar de como infelizmente as mulheres ainda são influenciadas por uma cultura que nos vitimiza e nos fragiliza. Isso faz com que a ação demore para acontecer. Então, aqui venho eu trazer algumas informações importantes para que este processo acelere!

O que é empoderamento?
Segundo Paulo Freire, educador, pedagogo e filósofo brasileiro :”É a capacidade de um indivíduo provocar em si mesmo as mudanças necessárias para evoluir e se fortalecer!”

Como eu me empodero?
Olhar para dentro é a primeira atitude. Gerir o autoconhecimento é o primeiro passo.
Quando você se conhece você conquista: autoestima, bem-estar, independência, autocontrole, realização, autoconfiança, sua própria identidade e mais fé em si mesma.

Conhecendo a si mesmo e suas capacidades, se sentindo mais empoderada, inevitavelmente sua capacidade de empreender é provocada.
Você começa a empreender, na vida e na carreira.

O que é empreendedorismo?
Uma das formas mais simples de exemplificar: é a disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços e negócios!

Como você empreende?
Planejando e Realizando! Independente do que você faça, você pode fazer a diferença na vida de alguém!

Durante a palestra realizei diferentes desafios e exercícios práticos.
Gramado mostrou com as mais de 35 mulheres presentes que existe muita riqueza e ideias altamente empreendedoras.
Na ocasião pedi para que 3 empresas fossem abertas em 10 minutos.

O poder de ação daquela mulherada me deixou altamente impactada pela demonstração de força de vontade, empoderamento e empreendedorismo. Elas rapidamente se uniram em 3 grandes grupos e formaram 3 diferentes empresas, que co-existiam e ainda, forneciam seus materiais para as demais. Incrivelmente o espírito de liderança, trabalho em equipe, coordenação, inovação e planejamento explodiram dentro da Biblioteca Cyro Martins.

Na noite houveram diversos pontos altos como a desenvoltura das participantes, bastante ativas. Os depoimentos emocionados das empresárias de Gramado: Raquel Siqueira, Monalisa Varella e Catia Almeida (Gramado + Você) e Liliane Colório de Caxias do Sul, que conseguiram conquistar seus ideais através do empreendedorismo. Ainda, o grande ápice da noite, o abraço emocionado de uma moça linda chamada Patrícia que chorando me agradeceu pela transformação que estava acontecendo na vida dela naquela noite.

Gramado é um berço de empreendedoras. E são elas que eu quero encontrar na minha caminhada!

Enquanto isso no Brasil, as empreendedoras brasileiras possuem diferentes desafios:
1) Embora empreendam mais cedo que os homens, suas empresas tem vida mais curta. Um dos possíveis motivos é o fato delas não saberem negociar, não possuir uma rede de contatos tão extensa e o grande medo de inovar e ganhar mercado.
2) Acabam não delegando tarefas. Sua voz mãezona (deixa que eu faço) atrapalha o crescimento da empresa.
3) Não estão acostumadas com a autonomia. Imagina que só em 1962 as mulheres puderam registrar seus próprios CPFs! Ou seja, antes disso nem conta em banco existia, quiçá crédito e financiamentos!
4) Provar que é melhor que o homem. Não entendem que isso é questão de capacitação e não de gênero.

Mesmo com dificuldades, o empreendedorismo feminino no Brasil vem numa crescente absurda. Isso se deve porque as mulheres:
1) Inovam mais em seus trabalhos.
2) Tem uma capacidade de liderança, percepção e inovação mais avançadas.
3) Empreendem depois da licença maternidade.
4) Tem mais cuidado com a educação de seus filhos.
5) Criam uma nova geração de empreendedores.
6) Contribuem significativamente com o crescimento e o desenvolvimento do país.

Os dados estatísticos não mentem:
1) Mais de 8% da população feminina brasileira é formada por mulheres empreendedoras
2) Destas 70% tem ensino superior, 68% trabalham em casa e ganham em média R$6.5mil mês
3) Na comparação com os homens elas são mais jovens e mais escolarizadas
4) Sul e Sudeste são as áreas onde o empreendedorismo feminino mais cresce
5) 55% das mulheres que empreendem tem filhos
6) 75% delas iniciam sua vida empreendedora depois da licença maternidade
7) De 2016 para cá mais da metade dos novos empreendedores do país são mulheres
8) O motivo maior de empreender é a qualidade de vida
9) Quem pensa que estas empreendedoras trabalham menos se engana. Elas trabalham em média 9 horas por dia.

Eu vou continuando minha jornada, a de transformar vidas através do conhecimento.
Se você quer saber mais de como pode se empoderar e empreender deixa aqui seu comentário, me chama nas redes sociais ou ainda me manda um whatsapp (54) 98402.8519. Faço questão de manter contato com você na conquista do seu ideal.

Vale lembrar que o dia das mulheres são todos os dias e que unidas podemos transformar toda uma nação.
Super beijo e até a próxima quarta!

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.