Eleições 2020: confira a primeira parte da entrevista com Beto Tomasini

0
850
Beto Tomasini. Foto: Divulgação.


O Portal Gramado News entrevistou os candidatos a prefeito de Gramado, abordando temas diversos. Confira a primeira parte da entrevista com o candidato Beto Tomasini.

Beto Tomasini tem 57 anos, é empresário do setor gastronômico e sempre teve uma forte relação com o segmento empresarial. Atuou como presidente do SindTur Serra Gaúcha por três mandatos e do Convention & Visitors Bureau Canela-Gramado, onde contribuiu muito na promoção e consolidação do destino Gramado em todo o Brasil e exterior. Também atuou como Secretário de Turismo de Gramado. Beto nasceu na Linha Quilombo, onde foi criado em uma família de nove irmãos. Ainda na infância passou a residir no bairro Piratini e desde jovem teve o trabalho como plataforma de crescimento. Começou a empreender aos 19 anos e hoje administra todos os seus negócios em Gramado – cidade que pretende transformar através da sua participação na política.

GN – O que te motiva a ser prefeito de Gramado?

Beto – Sou filho de Gramado e desde muito cedo tive a vontade de contribuir para o desenvolvimento da cidade. Comecei a empreender ainda jovem, aos 19 anos, e logo passei a participar de entidades de classe do setor empresarial com o objetivo de qualificar o turismo, que já naquela época passava a ser um dos motores da nossa economia. Com essa experiência, à frente do Sindtur trabalhei por bastante tempo na promoção do destino Gramado no Brasil inteiro, e me sinto orgulhoso de ter participado da consolidação da cidade em nível nacional e internacional. Agora, o que me motiva a ser prefeito é principalmente a vontade de trabalhar por Gramado e a coragem de fazer as mudanças que a cidade precisa. Também já atuei como secretário de Turismo, mas sei que a minha experiência como empresário da gastronomia, liderança do setor empresarial e gestor de modo geral me credenciam a assumir a cadeira do Executivo. Importante destacar que não temos comprometimento com nenhum outro partido ou cargos previamente loteados. A nossa coligação é apenas com a comunidade.

GN – Na tua opinião, em quais as áreas Gramado precisa avançar?

Beto – Gramado conseguiu se colocar em lugar de destaque nas últimas décadas, fruto de um belo trabalho de promoção do destino, e isso não pode jamais ser desvalorizado. Mas temos muito a melhorar se quisermos nos manter no topo. Em primeiro lugar, entendemos que uma cidade só é boa para o turista se antes for boa para o seu morador. O poder público precisa valorizar o gramadense e ampliar o seu olhar para os bairros e as pessoas que contribuem com o desenvolvimento de Gramado. Hoje temos algumas bandeiras centrais da campanha, as quais teremos um olhar especial assim que assumirmos o governo. Entre elas está Habitação, Mobilidade Urbana, Saúde, Turismo, Desenvolvimento Econômico e um grande ‘choque de gestão’ com a proposta de redução de salários e do número de CCs, que será uma das primeiras medidas do nosso governo.

GN – O turismo é a principal matéria prima de Gramado e foi diretamente atingido com a pandemia. Quais os planos para promover o setor turístico neste momento?

Beto – Devemos promover ações de marketing para o fortalecimento de Gramado como destino turístico, entre elas desenvolver workshops e participar de feiras de negócios em diferentes centros do Brasil e do exterior, com o intuito de aumentar o número e a qualidade de nossos visitantes. Como liderança empresarial fiz muito isso desde a década de 1980, quando ajudei a popularizar Gramado em todo Brasil. Precisamos retomar esse trabalho conjunto entre o setor público e a iniciativa privada, todos saem ganhando com isso. O turismo e os eventos precisam se reinventar, e nós trabalharemos para que isso aconteça.

Gramado também dispõe de dezenas de parques e opções para o turismo de entretenimento. O Município precisa se envolver no fomento deste nicho. Os parques precisam ser explorados pela iniciativa privada e a Prefeitura deve dar a concessão para a Gramadotur implantar o motor de vendas destes serviços, aumentando o fluxo de agências receptivas. A autarquia pode, por exemplo, instalar monitores de vendas em diferentes pontos da cidade para incentivar a comercialização e aumentar a ocupação dos empreendimentos turísticos. Todos saem ganhando com isso.

Outro projeto de fundamental importância é a construção do Aeroporto de Vila Oliva, que trará um aumento do número de visitantes em Gramado e na região. Isso será decisivo para a sustentabilidade de toda a cadeia turística e a economia da região no médio e longo prazo. No que compete a Gramado, precisamos dar uma contrapartida de infraestrutura caso necessário.

GN – Consequentemente, o setor econômico (indústria, serviços…) de Gramado também foi outra área atingida em função da pandemia. Como o candidato pretende alavancar a economia do município?

Beto – Temos que continuar trabalhando e fortalecendo o turismo como nossa principal matriz econômica, pois a cidade foi construída com este propósito e hoje ocupa posição de destaque como destino turístico. Mas a pandemia nos mostrou que a excessiva dependência de um único setor pode ser perigosa e fatal para a economia de uma cidade. Precisamos sim diversificar a nossa matriz econômica, criando um distrito empresarial e dando melhores condições para a instalação de novas empresas e crescimento das já existentes no município. Também buscaremos desburocratizar e facilitar a instalação de novos empreendimentos, privilegiando a instalação de empresas não poluentes. 

GN – Gramado sempre se destacou na realização e recebimento de eventos. Como retomar esse patamar pós-pandemia?

Beto – A Prefeitura precisa trabalhar em conjunto e fortalecer entidades como o Convention & Visitors Bureau, que se dedica à captação e atração de eventos e congressos corporativos. No passado fui presidente desta entidade e sei da importância que os eventos têm para a economia e a sustentabilidade de toda a cadeia turística (hotelaria, gastronomia, agências, comércio em geral). Congressos B2B tem outra vantagem que é o ticket médio mais alto gasto pelos visitantes na cidade. Em paralelo à captação, também precisamos oferecer equipamentos de qualidade para a realização de feiras e congressos. Vamos buscar caminhos para modernizar e tornar o ambiente mais propício a receber atividades como esta. Além disso, precisamos valorizar os eventos que já acontecem aqui há mais tempo e são referência em seus segmentos, como o Festuris, Zero Grau, SICC, Gramado Summit e outros. Tudo isso será importantíssimo para a retomada pós-pandemia.

GN – Quais seus projetos para eventos como o Natal Luz e Festival de Cinema, eventos que projetam Gramado para o Brasil e Mundo?

Beto – Precisamos qualificar os eventos e dar maior visibilidade com a promoção do destino Gramado, através da imprensa nacional e especializada, novas tecnologias e um sistema de comunicação próprio e independente com foco na divulgação das qualidades e atrativos de Gramado. Também precisamos criar uma nova imagem para o Festival de Cinema e o Natal Luz, resgatando a originalidade e a participação da comunidade na realização dos eventos gramadenses.

GNO plano de governo do candidato prevê quais investimentos na área da saúde. E quais as medidas pretende para o Hospital Arcanjo São Miguel?

Beto – Vamos buscar junto à comunidade uma alternativa para operar o Hospital Arcanjo São Miguel de modo satisfatório e sustentável economicamente, inclusive buscando o apoio e a participação dos demais municípios da região e da iniciativa privada.