Diante da pandemia, volta às aulas ainda não tem data definida em Gramado

0
549

Apesar da expectativa e apreensão da comunidade escolar, o retorno das atividades regulares das escolas de ensino infantil, fundamental e médio ainda está indefinido. A Secretaria da Educação de Gramado toma como norte as orientações do Governo Estadual diante da pandemia do novo coronavírus – com o compromisso na segurança e na saúde de toda a comunidade escolar: estudantes, servidores e famílias.

Neste período de distanciamento, a Secretaria Municipal da Educação trabalha a partir de eixos de atuação: o pedagógico, o acolhimento e o sanitário. “Assim, no eixo sanitário, com o Comitê, por exemplo, conseguimos planejar minuciosamente protocolos de higienização e de convivência, planejando a rotina escolar, analisando os espaços físicos e suas necessidades Tudo isso para que possamos ter tranquilidade e segurança no retorno das atividades presenciais”, confirma a secretária da Educação, Maria Gorete da Silva.

Auxílio
A tomada de decisões se dá, ainda, a partir das ações da Associação dos Municípios de Turismo da Serra (Amserra) e da Coordenadoria Regional de Ensino (CRE) de Caxias do Sul. Gramado também segue os pareceres do Conselho Nacional de Educação, do Conselho Estadual de Educação, e do Conselho Municipal de Educação. O Conselho Municipal de Educação acompanha todas as ações da Secretaria Municipal da Educação.

Ano não está perdido”
Embora as aulas não ocorram de modo presencial, as ações pedagógicas estão acontecendo. Atividades são encaminhadas aos estudantes para que sejam realizadas em suas residências e posteriormente entregues nas escolas para avaliação pelos docentes. “Muitas famílias estão preocupadas sobre o andamento das aulas. Com razão. Mas o ano não está perdido. O ano civil termina em 31 de dezembro, mas o calendário escolar não tem esse limite. Ou seja, ele pode se estender até ano civil de 2021”, explica a secretária.
Será elaborado um novo calendário que possa atender a continuidade do ano letivo no retorno às aulas presenciais e o cumprimento das 800 horas-aula. Desta forma, deve ser garantida a aprendizagem com qualidade aos estudantes da rede. “O momento é de cuidado da saúde e de fortalecimento dos vínculos: familiares, com escola e pedagógicos”, pontua Maria Gorete da Silva.