Criminoso que fornecia explosivos para assaltos a bancos foi preso em Canela

0
5835
José Antônio de Oliveira, o Furão, é natural de Canela e foi detido no bairro jardim das Fontes. (Fotos: Polícia Civil)


Um dos criminosos mais perigosos do Estado foi preso na manhã desta quinta-feira, 8 de novembro, em Canela. Investigado por envolvimento em assaltos a bancos com o uso de explosivos, José Antônio de Oliveira, 50 anos, conhecido como “Furão” foi detido pela Operação Barreiros da Polícia Civil em uma casa no bairro Jardim das Fontes.

A ação foi coordenada pela 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e contou com o apoio da Delegacia de Polícia (DP) do município. Conforme o Deic, Furão fazia parte da quadrilha que atacou com explosivos uma fábrica de joias em Cotiporã, em dezembro de 2012, onde alguns dos bandidos foram mortos em um confronto com a Brigada Militar e os demais integrantes foram presos durante as investigações, desenvolvidas pelo DEIC, à época dos fatos.

A suspeita era a de que Furão continuava a fornecer e a preparar os artefatos explosivos usados em recentes investidas criminosas em território gaúcho. Com ele, foram encontrados tubos de pólvora e munições de diversos calibres. Ao todo em Canela foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão relacionados a Barreiros. Furão já esteve recluso no sistema prisional e tem diversos antecedentes policiais também por roubo a estabelecimentos bancários.

MANDADOS CUMPRIDOS EM ALVORADA

A Polícia Civil também cumpriu executou outras ordens judiciais em Alvorada, onde mãe e filho foram presos com diversos tipos de drogas, como cocaína em pedra e em pó, além de maconha, bem como valores em espécie, além de tubos eppendorf´s e balança de precisão, ratificando desta forma a suspeita da prática do delito de tráfico de entorpecentes.

Nessa primeira etapa, a Barreiros visa desarticular organização criminosa que comete roubos a estabelecimentos bancários com emprego de explosivos e outros delitos conexos em território gaúcho.

Segundo o delegado João Paulo de Abreu, do DEIC, as autorizações judiciais foram solicitadas com o objetivo de apreender material explosivo, armas de fogo, drogas e outros objetos ilícitos, até mesmo com a finalidade de se comprovar a materialidade dos demais crimes, como o tráfico de drogas e posse ilegal de explosivos.

INÍCIO DAS INVESTIGAÇÕES

As investigações sobre a organização criminosa iniciaram a partir de um arrombamento de um caixa eletrônico do Banrisul praticado com explosivos e uso de arma de fogo em Barra Funda, no dia 2 de fevereiro. Na mesma data, a Brigada Militar (BM) foi informada que o grupo criminoso que havia furtado a agência do Banrisul seguiu em direção à cidade de Lajeado.

Conforme ocorrência policial nº 1006/2018/152104, por volta das 16 horas, na BR 386 após perseguição e troca de tiros três bandidos foram presos em flagrante.

O DEIC prosseguiu com as investigações e apurou que o fato foi praticado, em tese, por organização criminosa que se relacionava a outros delitos, além é claro de identificar demais participantes que não apenas o trio preso na rodovia federal.

A Polícia Civil de Canela informa, ainda, que foram apreendidas ferramentas que podem ter origem criminosa, especialmente de furtos da região, razão pela qual eventuais vítimas podem comparecer à Delegacia de Polícia para reconhecimento e, se for o caso, restituição.

Em poder de Furão, policiais recolheram munições de variados calibres.

Materiais como pólvora foram encontrados com Furão durante as buscas na casa em, que ele estava em Canela.

Polícia suspeita que equipamentos apreendidos podem ser produtos de furtos.