“Contar sempre a mesma história não vende”

0
1157


Entrevista com pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil de Canela. Congregação Cristo Redentor.

Qual a denominação religiosa de sua igreja?

Igreja Evangélica Luterana do Brasil, aqui em Canela. Cada congregação tem um nome.Todas as congregações se filiam a um Sínodo que é a IELB e, aqui em Canela, é a Congregação Cristo Redentor.

Como é o Natal pra IELB?

O Natal é uns dos primeiros eventos do novo ano da Igreja, por assim
dizer. O ano da Igreja está terminando. Ele termina antes do calendário civil.
E, o Ano da Igreja, ele começa com o período de advento. O advento são quatro
e/ou até cinco domingos. É o período que antecede o Natal. A igreja se prepara
diante de quatro semanas –vamos dizer assim- para celebrar a vinda do Messias.
O Natal é um dos grandes acontecimentos, do calendário da Igreja, e não poderia
ser diferente: a vinda de Jesus ao mundo. Por isso somos chamados de cristãos.
Dentro da Igreja, claro, recebe um destaque todo especial. É todo celebrado na
preparação, os cultos já o enfatizam. Temos a ceia de advento, teatro de Natal,
culto de Natal, e tudo gira em torno deste evento natalino. A gente tem em
Cristo o escrito das profecias. O que melhor resume a importância disso está
escrito no evangelho de João. Muitas vezes não se olha para ele porque não
conta a história do nascimento de Jesus. Mas os quatro evangelhos nos dão
enfoques diferentes. Porém é João quem fala quem foi Jesus, quem é esse que
nasce no Natal. O evangelho de João começa dizendo que o Verbo se fez carne e
habitou entre nós. Ele veio até nós. E, o que é esta palavra? É o próprio Jesus
Cristo por que, meio de quem, todas as coisas foram criadas. João nos remete
para a história da criação. A Bíblia inicia: “Disse Deus, aja luz. Houve a Luz.
” Temos Deus dizendo que a Terra produza, que haja separação entre as águas,
que produza espécies de plantas, espécies de animais. Animais que voam, que
rastejam, que andam na água e no ar. Deus criou todas as suas coisas através de
sua palavra. Que Deus é esse? Deus Pai, Filho e Espírito Santo. E, pela fé, o
Novo testamento vai nos dizer que Deus criou todas as coisas a partir do nada
e, com o poder de sua palavra. Referindo-se a Jesus, diz que tudo foi feito por
meio dele. Então, na criação, temos Deus Pai falando. E, se olharmos para o
livro do Gênesis veremos que o espírito de Deus pairava sobre as águas. Jesus é
o poder do criador. E, para entender o Natal, precisamos remeter para o início
quando, então, no final da criação, há uma mudança drástica. Depois de tudo
criar Deus diz: “façamos o Homem a imagem e semelhança”. Do pó da terra o
Senhor moldou o Ser Humano. Assim, enquanto todas as outras coisas Deus se
limitou a dizer, ele molda o Ser Humano e, no final, sopra em suas narinas o fôlego
da vida. Dá-lhe a alma e passa a ser uma alma vivente. Mas, depois entra o
pecado no mundo. O homem se desvia de Deus, se afasta dele. Já em Gn 3, 15 nós
temos a primeira promessa de um salvador. Quando fala de um descendente da
mulher. Retrata que a serpente (pecado) picaria o descendente, mas este lhe
pisaria a cabeça. Retrata assim do nascimento do Messias e de sua missão. Ele
esmaga a cabeça da serpente ao ressuscitar no Domingo. Desde Gênesis 3, 15 há
uma promessa de um salvador. E, todo o Antigo Testamento conta a história do
povo de Deus. Essa promessa ela é feita a Abraão novamente. Todo o Antigo
Testamento aponta para o nascimento de Jesus. Em verdade, por que o Natal se
torna tão importante? Pois nós não temos a capacidade da perfeição. E, assim,
Deus vem para resolver o que não conseguimos resolver. Como não podemos mais
apresentar a perfeição diante dele, Deus vem através de Jesus Cristo cumprir
sua Lei em que ele paga na cruz em nosso lugar para que, pela fé, tenhamos a
salvação. Isso só é possível porque ele se torna um de nós no Natal. A partir
de Cristo a salvação se torna eterna. Torna-se palpável para nós.

Qual sua percepção dentro da sociedade atual referente às decorações de
Natal?

Comemorara o Natal é legal. Talvez soe muito mais forte que o aspecto
familiar o aspecto comercial. O mundo ele parte para aquilo que vende, aquilo
que dá lucro, que dá retorno (claro que a gente compreende que há uma questão
econômica necessária). A história do Natal não muda. Sempre vão contar a mesma
história. Nós não podemos mudar a história. Mas, contar sempre a mesma história
não vende. Muitas vezes se quer incrementar. Mas Jesus fica longe da história.
O personagem principal, às vezes, fica distante. É legal ver o Papai Noel
descer da torre. Mas, na verdade, quem desce no Natal? É Deus que desce e vem
até nós. Não é questão de criticar, mas acaba que as os fatos se perdem,
misturam-se. Para o mundo hoje, se tirarmos Jesus, continuará celebrando o
Natal. É triste, mas é verdade. Se a fé cristã morrer no Brasil, será que
continuarão celebrando o Natal? Sim, vão continuar. Mas daqui a algumas
gerações se perguntaria o que é o Natal (risos). Infelizmente, com isso, se
perde a grande riqueza do Natal.

Podemos dizer que o Natal é uma tecla de escape para muitos de nós?

Acho que têm dois aspectos envolvidos. Um é o lúdico. Adulto vivendo
como criança. É uma forma de o adulto esquecer das pressões dia-a-dia. E outro,
motivação para presentear alguém. Mas, é difícil medir o quanto é ou não uma
tecla de escape.

Há alguma marcar essa data para você?

Como frequento a igreja desde criança, dezembro e Natal me remetem ao
nascimento de Jesus. E, assim, é toda a programação da igreja. Para mim isso
faz parte desde muito tempo. Para mim remente ao real sentido do Natal.

E, como foi seu primeiro contato com o Natal?

Meus pais sempre frequentavam a igreja. Minha lembrança é que foi a
partir da Escola Bíblica. Tanto sendo contada para nós como crianças, quanto
nós apresentando encenações de Natal à própria Igreja.

Qual mensagem deixar de Natal?

Que possamos olhar para o Natal como uma oportunidade. Oportunidade de
que Deus nos estende suas mãos. Deus nos deu a oportunidade de viver mais um
ano. Oportunidade de crer ou renovar a fé. Natal é Deus presente. O presente de
Deus para nós. É mais valioso que a loteria acumulada. Olhar sempre para esse
viés. Essa é minha mensagem.