Cidadania e Assistência Social reforça ações que beneficiam a comunidade

0
660
Foto: Carlos Borges.


Os servidores da Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social de Gramado têm dado um abraço simbólico na comunidade, através das ações que têm desenvolvido, como cadastramento em programas e distribuição de cestas básicas, entre outras. As demandas aumentaram bastante desde o início da pandemia do Covid-19, mas não tem reduzido o ânimo da equipe. O secretário interino, Ricardo Cazzanova, elogia o empenho de todos, inclusive indo além de suas atribuições normais.

A assistente social Lisiane Besutti, coordenadora do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Piratini, acrescenta que os servidores estão se empenhando para que a comunidade seja atendida em suas demandas. “Fazemos o acolhimento de todas as pessoas, incluindo as que eram atendidas normalmente e aqueles que têm nos procurado agora por causa da situação em que estão por conta do coronavírus”, afirma Lisiane.

Como está o funcionamento do CRAS?
Lisiane – Devido ao atual contexto da pandemia e a situação de emergência ocasionada por tal contexto de saúde pública, tivemos que adotar algumas medidas de proteção à saúde dos técnicos e também da população, sem deixar de atender as necessidades e demandas da comunidade que já acessavam os serviços da assistência social, assim como daqueles que em virtude de todo esse contexto, acabariam também precisando de atendimento. Assim, hoje trabalhamos na perspectiva da alta complexidade, então todos os serviços da assistência (Centro de Referência de Assistência Social -CRAS e Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS) foram “transformados” em um único serviço de “alta complexidade”, com todas as equipes atuando neste serviço.

Onde é feito esse atendimento?
Lisiane – O atendimento está sendo realizado de duas formas: presencialmente no pavilhão de esportes em frente da escola Senador Salgado Filho no bairro Piratini. Ou através do telefone (54) 3286-4349. O canal de atendimento por telefone é muito importante, pois a família será atendida por um dos técnicos da equipe da assistência social em até 48 horas sem necessitar sair de casa, fato que contribui para as medidas de prevenção e auxilia a família neste momento que não tem condições de se deslocar.
Para as dúvidas, reclamações, sugestões e demandas também temos um canal de ouvidoria através do whats app (54) 98408-0010. Ressaltamos que este número é somente para mensagens de texto e voz. 

O atendimento presencial ao público se dá de segunda a sábado das 13h às 17h. Sendo que das 17h às 19h os técnicos realizam trabalho interno e dão continuidade as demandas que surgiram durante o dia.

Que atividades estão sendo desenvolvidas neste momento?
Lisiane – Como medida de proteção e prevenção ao Covid-19, todas as atividades coletivas foram suspensas, a exemplo dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e demais grupos. Atualmente a assistência social atua no atendimento direto à população no que diz respeito ao atendimento de demandas de acesso a benefício de cesta básica, atendimento de abordagem social a usuários em situação de rua, situações de violência e realização de cadastro único para acesso a programas sociais do governo federal.

Como tem sido a rotina dos profissionais/técnicos. Estão trabalhando em casa? 
Lisiane – Ainda como medida de proteção, estamos trabalhando no formato de plantão, onde foi organizada uma escala com todos os técnicos da assistência social. Os que não estiverem trabalhando presencialmente na assistência social nos seus dias de plantão, continuam com o seu trabalho na modalidade de home office, ou seja em casa. Realizando atendimento à população por telefone, emitindo relatórios, registrando os atendimentos, passando informações do caderno do cadastro único para o sistema do governo federal, etc. É oportuno dizer aqui que todos os profissionais da equipe estão se doando muito no atendimento das famílias em situação de vulnerabilidade que procuram por atendimento, cada um está fazendo o seu melhor dentro de um trabalho isonômico, técnico e respeitoso que está levando dignidade para as famílias que mais precisam neste momento.

Quais as principais demandas no momento?
Lisiane – A principal demanda até agora é de cesta básica. É importante salientar que a assistência social não está “distribuindo”ou “doando” cestas básicas. O trabalho que está sendo realizado é técnico, por isso estamos fazendo a acolhida das famílias que procuram o serviço através dos canais já citados e realizando entrevista técnica para que possamos identificar e chegar até as famílias mais vulneráveis, atuando sempre na perspectiva do direito e da proteção social dessas famílias. O aumento pela procura do benefício de cesta básica aumentou consideravelmente desde o início da pandemia. Em média concedíamos cerca de 160 cestas por mês, em quarenta dias foram concedidas cerca de 1.086 cestas básicas, o que representa um aumento de mais de 500%.