Centro Municipal de Cultura passa por reformas

0
1037
Antes um depósito, agora um novo espaço para ser utilizado como auditório ou galeria de exposições. (fotos: MIlena Dallarosa)


Há mais de 15 anos sem reformas na parte estrutural, o Centro Municipal de Cultura Arno Michaelsen (CMC) recebe até o final de agosto uma reformulação em seu espaço para ofertar à comunidade gramadense um ambiente cultural com mais salas. O investimento é de aproximadamente R$ 25 mil.

“Estamos qualificando o espaço do CMC, onde estava todo o acervo histórico de Gramado, de maneira mal organizada, levando à deterioração do mesmo. Agora, o material do acervo está sendo higienizado e catalogado pela museóloga Morgana Camargo, que integra a equipe da Secretaria. Após a conclusão dos serviços, entregaremos à comunidade um espaço que vai poder casar com uma galeria de artes adequada, um auditório com capacidade para 100 pessoas e também uma sala de projeção, servindo para palestras, apresentações e exposições de arte”, ressalta o secretário municipal da Cultura, Allan John Lino.

RELOCAÇÃO DE ACERVO E OBRAS

Para receber o auditório, no andar principal do prédio muitas obras e acervos foram realocados deixando assim um cômodo inteiro livre. Neste espaço, já foi realizada a pintura, nova instalação elétrica e nas próximas semanas todo o piso, que é de pedra, será restaurado.

O piso superior, que anteriormente tinha seu chão todo revestido com carpete, foi substituído por laminado em toda a extensão do andar. Segundo o secretário da pasta, o carpete de mais de 20 anos nunca havia sido trocado e ocasionava problemas respiratórios nos professores e alunos que utilizam as salas para aulas de música. “Esse fator acabava os levando a desistência. O novo piso melhora a qualidade de vida dos ocupantes e também facilita limpeza”, destaca.

O material do acervo está sendo higienizado e catalogado.

 

CÂMERAS DE VIGILÂNCIA

Já na parte externa do prédio foram colocadas bandeiras para dar uma conotação de prédio público e trazer o pertencimento da identidade municipal, estadual e nacional. E, visando dar mais segurança para a comunidade que usa o parque, a Secretaria investiu em câmeras que foram instaladas no entorno do Lago Joaquina Rita Bier e na área em que se encontra o Centro. As câmeras têm o objetivo de tornar o espaço mais seguro para a população que o utiliza tanto durante o dia, quanto à noite.

MÃO DE OBRA PENAL

Para a realização desta obra, uma parceria muito importante foi firmada entre as secretarias da Cultura, e da Cidadania e Assistência Social. Toda mão de obra está sendo realizada por pessoas condenadas a pequenas penas no município. “Assim possibilitamos a estes apenados a reinserção social e ainda geramos economia aos cofres públicos, foram cerca de R$ 35 mil”, completa Allan.

Museóloga Morgana Camargo