Centro de Cultura de Gramado recebe seis exposições simultâneas em agosto

0
1292
Dois Irmãos e Gustav Klimit - Carlos Borges


O Centro Municipal de Cultura Arno Michaelsen (CMC) reberá seis exposições simultâneas no mes de agosto. Além da Miniarte, que traz consigo as exposições Fiesta de Paz e Palavras na Parede, mais três estão dispostas no novo espaço do CMC: Flashback de Inspirações: Coleção Gramado Corpo e Alma, Retratando Dois Irmãos e Homenagem a Gustav Klimt.

Todas as exposições podem ser visitadas de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h30min, na Rua Leopoldo Rosenfeld, 818, Bairro Planalto, junto ao Lago Joaquina Rita Bier).

Flashback de Inspirações: Coleção Gramado Corpo e Alma

Inspirada nas paisagens de Gramado, a artista visual Jeannine Lima Krischke traz para o Centro de Cultura, a Arte Vestível com a coleção Gramado Corpo e Alma, que retrata as belezas naturais da Serra Gaúcha como, as hortênsias, as araucárias, os plátanos, entre outros elementos. A exposição nominada Flashback de Inspirações, iniciou no dia 4 e pode ser apreciada até o dia 25. Já o lançamento oficial da coleção ocorre na próxima segunda-feira (20), às 14h. As estampas assinadas pela artista, em edição limitada, estão aplicadas em roupas e acessórios.

A criadora das peças constituiu um acervo temático de 10 estampas autorais unindo esteticamente características inerentes ao ambiente natural e a cultura de Gramado e suas peculiaridades étnicas.

Retratando Dois Irmãos – Homenagem a Gustav Klimt

De 11 a 30 de agosto, Gramado recebe duas exposições de artistas de Dois Irmãos: o tributo a Gustav Klimt – pintor simbolista austríaco – e a exposição Retratando Dois Irmãos, com as mostras do Atelier Carmen Backes, que reúne obras de 18 artistas da cidade.

O primeiro traz uma homenagem a Klimt, um dos grandes nomes da art nouveau, onde os alunos do atelier fizeram pinturas em tela, em honra ao centenário de sua morte. Já “Retratando Dois Irmãos” busca mostrar um pouco da história do município e sua cultura, através das obras que simbolizam os prédios, as igrejas, os caminhos, a fauna e a flora, para eternizar o que foi construído e preservado.