Bandidos sabiam da rotina das vítimas e tinham informações sobre rotas de fuga

0
4481
Delegados Gustavo Barcellos e Heliomar Franco destacam que investigações irão continuar. (Foto: André Aguirre)


Mesmo com a prisão até o momento de sete dos oito criminosos envolvidos na execução dos crimes e nas tentativas de resgate dos autores dos delitos, a Polícia Civil seguirá com as investigações. O responsável pelas investigações, delegado Gustavo Barcellos, destaca que a corporação irá até o fim para elucidar totalmente tanto o assalto ao proprietário de uma fábrica de móveis que ocorreu na noite de 22 de outubro no Centro de Gramado, quanto a tentativa de roubo e de sequestro de um empresário que atua no ramo alimentício praticados na sexta-feira, 1º de novembro, no interior do município. A Polícia já sabe e tem provas concretas de que a quadrilha desmantelada é responsável pelos dois ataques.

Nas duas investidas, os bandidos sabiam em detalhes como era a rotina dos alvos. “Não há nenhuma dúvida que eles (assaltantes) de alguma forma obtiveram essas informações. Essa investigação não se encerra com essas prisões, elas seguem no sentido de identificar todos aqueles que de alguma forma tiveram envolvimento nestes graves fatos ocorridos”, garante Barcellos. “É evidente que outras pessoas tiveram participação nestes fatos, se não, eles não saberiam tantos detalhes sobre a rotina das vítimas” afirma o delegado. “Nós vamos até o fim, nós vamos chegar a todas as pessoas que tiveram algum tipo de envolvimento com estes casos,” ressalta a autoridade policial.

JIPEIRO FAZIA PARTE DO BANDO

As apurações sobre a tentativa de roubo e de sequestro de um empresário do ramo alimentício, revelaram que os executores do crime contaram com o auxílio de uma pessoa que conhecia bem a região. Trata-se de um integrante da organização criminosa que foi detido no sábado, dia 2, em Taquara juntamente com a sua esposa. O quadrilheiro foi pego com uma arma e também abriu fogo contra os agentes que realizaram a sua captura.

O bandido faz parte de um grupo de jipeiros e, por isso, conhecia os caminhos vicinais da redondeza. “Ele é profundo conhecedor das rotas alternativas que existem no interior. Ele se valeu da proximidade com o pessoal que faz trilhas para conhecer a região e repassar informações para esses indivíduos que praticaram os delitos em Gramado,” comentou o delegado regional Heliomar Franco.