Autoridades discutem sobre Lei de incentivo ao cacau de qualidade

0
712
O principal objetivo desta conversa é trazer ao polo chocolateiro de Gramado o conhecimento da Lei que introduziu a nova política de produção de amêndoas de cacau de qualidade. Foto: Prefeitura de Gramado.


Elevar a qualidade e o valor do cacau brasileiro, e fazer com que os produtos estejam cada vez mais em evidência no mercado, gerando empregos e renda. Este é o objetivo da lei 13.710 de 2018, que foi apresentada por Gisele Gomes, técnica da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (CEPLAC/MAPA) aos secretários José Carlos Ramos de Almeida (Turismo) e Paulo Volk (Indústria e Comércio), na sexta,1.

“O principal objetivo desta conversa é trazer ao polo chocolateiro de Gramado o conhecimento da Lei que introduziu a nova política de produção de amêndoas de cacau de qualidade. Com isso, nós no Brasil, vamos ter a oportunidade de melhorar a produção da matéria-prima principal para esse grande polo chocolateiro que é a cidade de Gramado”, explicou Gisele. Segundo ela, muitas oportunidades podem surgir com essa nova produção da amêndoa de qualidade. “Com o aumento da qualidade do chocolate, temos tudo para tornar Gramado a Suíça brasileira”.

Após o encontro, ficou acordada uma nova reunião, com a presença da diretoria da CEPLAC, que deve acontecer em breve. “A ideia desse encontro era saber se a Prefeitura de Gramado tinha interesse em conhecer mais sobre as técnicas de qualidade do cacau. Como vimos que a receptividade foi muito boa, agendaremos outro momento para fecharmos novas possibilidades de parcerias”, finalizou Gisele.

Também estiveram presentes na reunião Augusto Schwingel, CEO no Chocolate Lugano e Altanísio Ferreira de Lima, presidente da Associação dos Chocolateiros e diretor da empresa Chocolate Gramadense (ACHOCO) .