Audiência Pública aborda consolidação de Gramado como capital do Chocolate Artesanal

0
954
A audiência aconteceu na manhã desta sexta-feira, 10 de agosto, e contou com a participação de autoridades e da comunidade. Foto: Câmara de Vereadores.


A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados realizou hoje (10), na Câmara Municipal de Gramado, Audiência Pública, para debater o projeto que confere ao Município de Gramado, no Estado do Rio Grande do Sul, o título de Capital Nacional do Chocolate Artesanal. O projeto de lei Nº 9.949 de 2018 é de autoria é do deputado federal, Jerônimo Goergen.

Na oportunidade a relatora da Comissão, deputada federal, Maria do Rosário destacou que a proposta visa torna patrimônio de Gramado esta marca que não poderá ser concedida a outra cidade no Brasil. Ainda afirmou que o intuito da Audiência é a elaboração de um relatório que confirme a veracidade desta proposta, que em sua opinião é justa e adequada, pois Gramado tem o chocolate como identidade.

O vereador Luia Barbacovi salientou que o projeto busca consolidar o que já é o dia-a-dia da cidade e das empresas chocolateiras, e o vereador Professor Daniel enfatizou que a consolidação irá qualificar, trazer mais valor a marca e que fará justiça com o chocolate de Gramado, além de gerar ainda mais emprego.

Altanisio Ferreira, presidente da ACHOCO, salientou que são mais de 40 fábricas na cidade, que cada uma faz a sua parte e que todos são parte integrante da história do Chocolate Artesanal de Gramado. Ele também fez um relato de como é feito o chocolate gramadense, que mescla a questão industrial no momento da produção da matéria prima, mas que mantem o artesanal nos processos que seguem isso, onde há a transformação da matéria prima em chocolate. Ele enfatizou também os processos de embalagem e confecção de produtos diferenciados com receitas próprias de cada empresa.

Em seguida diversos outros empresários do ramo chocolateiro de Gramado fizeram relatos sobre a história do chocolate, de suas empresas, e de como ele tornou-se marca da cidade para o mundo.

Maria do Rosário fará o relatório na próxima semana. O mesmo será votado na Comissão de Cultura e posteriormente segue para as demais. Não há data para votação em Plenário.

Justificativa de Proposta

O Chocolate Artesanal de Gramado é nacionalmente reconhecido como um produto eminentemente local. O início da produção local de chocolate artesanal em Gramado remonta à década de 70. O pioneiro na produção foi Jaime Prawer, odontólogo portoalegrense que se radicou na cidade e foi responsável pela criação de diversos empreendimentos gastronômicos na região.

Já nos primórdios da produção local o forte vínculo entre o produto chocolate artesanal e o território foi se evidenciando. As embalagens originais do chocolate Prawer ostentavam um convite a visitar o destino turístico, o que foi criando no imaginário tanto dos turistas que visitavam a cidade, como aos seus entes que eram presenteados com o produto, o conceito de “Chocolate de Gramado”.

Crucial para esse processo foi a adoção pela Varig, então a maior empresa de aviação nacional e uma das principais no mundo, do chocolate Prawer nos kits de viagem oferecidos a seus passageiros, bem como a adoção pelo poder público do chocolate como uma dos símbolos locais na promoção do destino turístico em âmbito nacional e internacional.

A abertura da primeira loja de Prawer coincidiu com a IV Edição do Festival de Cinema Brasileiro de Gramado, que à época acontecia no início do ano. Esta coincidência proporcionou uma grande mídia espontânea ao empreendimento de Jaime Prawer, em função da presença de artistas e jornalistas do centro do País, os quais se surpreenderam com o produto até então inédito no Brasil.

A partir do sucesso da Prawer, novas empresas foram surgindo na região, algumas inclusive a partir de ex-funcionários da Prawer, uma característica comum à formação de diversos Arranjos Produtivos Locais: a criação de empresas concorrentes que se valem de competências já estabelecidas, em especial mercado, tecnologia e pessoal especializado.

A concessão do título de Capital do Chocolate Artesanal será um reconhecimento e uma justa homenagem não só à nossa comunidade, mas também a todos aqueles que acreditam na tradição e reconhecimento da região serrana gaúcha como produtora dessa iguaria disseminada nacional e internacionalmente.